O País – A verdade como notícia

Retomou a prova anual de vida em todo o país

Foto: O País

Já retomou, em todo o país, a prova anual de vida para os pensionistas do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS). O processo estava interrompido desde 2020, devido à pandemia da COVID-19. O Estado gasta, mensalmente, 590 milhões de Meticais em pensões.

Mário Da Silva, pensionista do Instituto Nacional de Segurança Social (INSS), é motorista de profissão. Depois de uma jornada laboral de 35 anos ininterruptos, agora está na condição de pensionista. Com a retoma da prova de vida presencial, Mário tornou-se no primeiro cidadão a provar que ainda está vivo e é ainda elegível para receber a sua pensão.

“Claramente, porque amanhã posso entrar em discussão com o Instituto, por um lado, e, por outro, posso ficar sem a minha pensão. Prefiro cumprir com o processo, atempadamente, pois a minha condição física já não ajuda.”

Suspensa em 2020, devido à pandemia da COVID-19, a prova de vida presencial será feita em todo o país, abrangendo mais de 107 mil beneficiários. O processo vai durar três meses, sendo que primeiro são abrangidos os pensionistas por velhice, depois os pensionistas para sobrevivência e, por fim, os pensionistas por invalidez.

Durante a interrupção do processo, que retomou esta segunda-feira, perto de 100 pensionistas perderam a vida, o que torna necessária a atualização da base de dados do INSS.

Por seu turno, a ministra do Trabalho e Segurança Social, Margarida Talapa, destaca a importância da realização da prova de vida.

“Este exercício tem a particularidade de permitir a actualização periódica do cadastro dos pensionistas, tornando-se, deste modo, num momento com um sentido extremamente importante, pois contribui para evitar eventuais pagamentos indevidos das pensões lesando, por conseguinte, o sistema”, concluiu a dirigente.

Os pensionistas com problemas de locomoção podem fazer a prova de vida no respectivo domicílio. Os demais podem fazê-lo junto ao INSS, mediante a marcação, havendo, igualmente, brigadas móveis e os que não o fizerem as suas pensões serão suspensas.

“Pelo que gostaríamos de exortar a todos os pensionistas do INSS para que se apresentem nos locais onde se realiza a prova de vida, assim estarão a atribuir a importância a este evento, que se vai traduzir na cobertura efectiva dos reais beneficiários dos nossos serviços.”

A prova de vida começou esta segunda-feira e termina no dia 21 de Junho. As províncias de Gaza, Niassa e Tete vão retomar as actividades na quarta-feira.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos