O País – A verdade como notícia

Retomam aulas no ensino primário e secundário de escolas com currículo estrangeiro

O Presidente da República, Filipe Nyusi, anunciou hoje a retoma de aulas no ensino pré-escolar, primário e secundário nas escolas com currículo estrangeiro, bem como a extensão do prazo de validade dos testes negativos para a COVID-19, feitos no país de origem dos cidadãos que entrarem no território nacional.

Falando à Nação, esta tarde, por ocasião do fim do ano, o Chefe do Estado explicou que a retoma de aulas no ensino pré-escolar, primário e secundário nos estabelecimentos com currículo estrangeiro é condicionada e depende da evolução da pandemia da COVID-19.

Relativamente ao teste negativo para o novo Coronavírus, a validade passa de 72 para 96 horas, a partir do dia 19 de Dezembro corrente.

Segundo Filipe Nyusi, é também permitida a reabertura de barracas, bares e quiosques no período das 09 às 16h00, de domingo a quinta-feira. “Às sextas-feiras e sábados, a abertura desses locais” será das “09 às 19h00”.

O Presidente da República disse que a medida visa equilibrar a situação financeira da população cuja fonte de sobrevivência depende do comércio informal, em harmonia com a estabilização na saúde.

Ademais, será retomada a emissão do visto de fronteira para fins turísticos, assim como a prática do desporto em espaços abertos.

O número máximo de pessoas em cerimónias ou eventos privados passará de 40 para 50, em espaços fechados ou semi-abertos.

Para eventos ao ar livre, admite-se até 150 indivíduos, “sob estreita observância das medidas de prevenção e combate à COVID-19” e o distanciamento físico de pelo menos dois metros.

A hora de funcionamento dos mercados será alargada de 17 para 18h00.

O Presidente da República salientou que as medidas ora anunciadas “poderão imediatamente ser alteradas em função da evolução da pandemia. O confinamento ou desconfinamento poderão ser declarados em todo o território nacional, ou locais específicos”.

Nyusi recordou que a cidade de Maputo tem registado maior número de infecções, hospitalizações e mortes devido ao Coronavírus.

Aliás, mesmo que nos próximos meses haja vacina contra a COVID-19, será sempre necessário cumprir as medidas de prevenção da doença, disse o Chefe do Estado, apelando igualmente à prudência na condução, sobretudo neste período de festas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos