O País – A verdade como notícia

Nyusi diz que restabelecimento da vida social é prioridade em Cabo Delgado

Foto: News UN

O Presidente da República, Filipe Nyusi, que falava, hoje, na cerimónia de abertura do ano judicial 2022, apontou para o restabelecimento da vida social em regiões afectadas pelo terrorismo como prioridade, uma vez que a população está a regressar para as suas zonas de origem.

Como ponto de partida, o Chefe do Executivo moçambicano diz haver necessidade de se reconstruir as instituições públicas destruídas como escolas, hospitais, procuradorias, tribunais, entre outras, para garantir o fornecimento dos serviços públicos nas zonas afetadas pelo terrorismo.

O terrorismo no norte do país já causou a morte de mais de 2 mil pessoas e forçou a deslocação de mais de 820 mil cidadãos.

“Para além de perdas humanas, acção dos terroristas contribui para a destruição de infraestruturas socio-económicas, património público e privado, causando uma quebra nos níveis de produção, caracterizada pelo encerramento de unidades produtivas e, consequentemente, o aumento do desemprego e retrocesso dos níveis de bem-estar social”, acrescentou Filipe Nyusi.

Falando sobre o Judiciário, que neste ano actua sob lema: “Juntos no combate ao Terrorismo e Crimes Conexos”, o Presidente da República lamentou a destruição das instituições e residências do sector de Justiça em Cabo Delgado, assim como o deslocamento forçado de juízes para outros pontos do país. Sobre esta questão, Nyusi disse ser do interesse do Executivo que os tribunais e procuradorias sejam reerguidos.

Durante a sua intervenção, o governante apelou à necessidade de todo o país estar unido na luta contra o terrorismo, porque este mal “afeta o executivo, legislativo e o judiciário, as instituições religiosas, as instituições do ensino, as empresas e a cada um dos cidadãos”.

Ainda sobre o combate à criminalidade, Filipe Nyusi apelou ainda ao empreendimento de esforços para combater outros tipos de crimes, como tráfico de drogas, branqueamento de capitais, corrupção, entre outros.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos