O País – A verdade como notícia

Renamo propõe adiamento por 45 dias para início do recenseamento eleitoral

Foto: O País

Com o adiamento do arranque do recenseamento eleitoral por quinze dias, a Renamo antevê um processo que será marcado pela exclusão de muitos moçambicanos. A perdiz defende que o adiamento devia ser de 45 dias e apela ao conselho de Ministros a  reconsiderar  a sua decisão para permitir que todos moçambicanos participem.
 
Segundo o calendário eleitoral divulgado pela Comissão Nacional de Eleições, o recenseamento eleitoral devia iniciar esta segunda-feira em todo território nacional. Em consequência do ciclone Idai que semeou luto e originou milhares de deslocados, o Conselho de Ministros decidiu adiar o início do processo por 15 dias. Para Renamo esse tempo é insuficiente e não vai permitir a participação de toda população.

A Perdiz apela ao Conselho de Ministros a reconsiderar a sua decisão para salvaguardar o exercício do direito de eleger e ser eleito de todos os moçambicanos.

Manteigas também manifestou a preocupação do seu partido em relação a redução do tempo de apresentação das listas de candidaturas dos partidos políticos de 90 para 75 dias conforme proposto em sede do parlamento.
 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos