O País – A verdade como notícia

Religiosos exaltam esforços de Nyusi e Dhlakama pela paz no Domingo de Ramos

Foi com mensagens de paz, amor, tolerância e compaixão que os crentes, a nível da cidade de Maputo, celebraram o domingo de Ramos. Para estes, o dia não só simboliza a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, como também a paz e amor para com o próximo.

Na mesma ocasião, alguns líderes religiosos exaltaram o contributo do Presidente da República, Filipe Nyusi, e do líder da Renamo, Afonso Dlhakama, no resgate e manutenção da paz efectiva no país.

Para Ventura Cumbuia, pastor da Igreja Presbiteriana, o domingo de ramos simboliza a entrada de Jesus em Jerusalém. Ele que é o rei dos reis. Assim sendo, Cumbia afirma que com Jesus podemos triunfar e, como resultado disso, são os avanços alcançados na busca da paz efectiva em Moçambique.

“Com Jesus, podemos triunfar em todos os aspectos. Como resultado disso, vemos hoje o esforço enorme do Governo de poder tratar o assunto da paz em Moçambique. Portanto, com essa mensagem de entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, podemos dizer que este Governo vá avante, olhando em Jesus Cristo, orando em Jesus Cristo, porque é só com ele que podemos alcançar a paz que queremos”, declarou a fonte.

Num outro desenvolvimento, Nelson Pereira condenou o comportamento actual dos cristãos, os quais não seguem à risca o evangelho de Cristo, ao deixarem-se levar pelos bens materiais, corrompidos pelas coisas do mundo. “Infelizmente, muitos de nós cristãos não seguimos o evangelho genuíno de Cristo. Jesus era um homem frontal e nós muitas vezes somos covardes. Não temos coragem diante das lutas e deixamo-nos corromper pelas coisas materiais deste mundo. Olhamos muito mais para as coisas da terra do que para as celestiais. Infelizmente, o espírito pagão, materialista, espírito de corrupção, começa a atingir a muitos de nós”, lamentou.

Ainda nas celebrações do domingo de ramos, Madalena Vinício, crente da Igreja Presbiteriana, disse que o dia carrega o significado de libertação, perdão e compaixão. Assim sendo, “que nos amemos e a paz em primeiro lugar, porque o que nós queremos é a paz.      Ele traz a paz, então, temos que abrir os caminhos, para que essa paz fique e permaneça”, apelou.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos