O País – A verdade como notícia

Reinício das aulas é dilemático e desafiador

O regresso às aulas, que deverá acontecer dentro de duas semanas, chega com um rigoroso conjunto de normas que todos deverão cumprir, por forma a evitar a contaminação e propagação do novo Coronavírus. O sociólogo Pedrito Cambrão e o académico Paulo de Sousa, afirmaram que o regresso às aulas é um cenário dilemático e desafiador olhando para a questão de higiene pessoal e os meios (transportes semi-colectivos de passageiros), que grande parte dos alunos.

Importa antes referir que na cidade da Beira as escolas secundárias públicas e privadas redobram esforços para garantir que antes do reinício das aulas de forma faseada no próximo dia 27 deste mês, todas as condições de higienização, de saneamento do meio, pedagógico e material estejam prontas. “O País” testemunhou em pelo menos quatro escolas secundárias, nomeadamente, Escolas Secundárias da Ponta Gêa, Mateus Sansão Mutemba, Samora e privada Nossa Senhora de Fátima, este esforço, onde os sistemas de fornecimento de água já estão prontos, as casas de banho estão a ser reabilitadas e as salas de aulas estão a ser redistribuídas face ao elevado número de alunos em cada sala com vista a garantir o distanciamento.

Contudo para os gestores destas escolas o maior desafio é o comportamento individual de cada aluno e pedem a colaboração de todos.

“A questão de higiene individual e colectiva deve ser observado neste momento com maior rigorosidade possível. A saúde de cada um depende neste momento da forma como cada individuo se comporta na sua casa, comunidade bairro ou escola. Portanto urge que cada pai e ou encarregado de educação incluindo os alunos observem com rigor todas as medidas de prevenção para garantir que não haja infecções e que as mesmas não se propagem de forma aritmética”, explicou Rosaria Bofana, directora da escola secundaria da Ponta-gêa.

Rotafina Wilson, directora da escola secundária da Ponta-gêa, disse que a sua escola irá “priorizar contactos com os encarregados de educação porque para ela não basta o esforço da escola para evitar infecções. O cuidado dos alunos devem ser permanente desde a saída de casa até a escola e vice-versa. Eles, os alunos devem observar com rigor todos os cuidados de higienização”.

Entretanto, o sociólogo Pedrito Cambrão e o académico Paulo de Sousa, afirmaram que o regresso às aulas é um cenário dilemático e desafiador olhando para a questão de higiene pessoal e os meios (transportes semicolectivos de passageiros), que grande parte dos alunos. Para eles é difícil e quase que impossível garantir todos os cuidados de prevenção tendo em conta a forma como se movimentam os transportes semi-colectivo de passageiros.

“Portanto estamos perante um dilema. Não podemos continuar refém da COVID-19. Precisamos de trabalhar e formar novas pessoas. Mas por outro lado esta o novo coronavírus. Vamos sim retomar as aulas seguindo as riscas todas as orientações do sector de saúde, mas também o governo deve ter um plano B, caso as escolas virem um foco de contaminação do vírus. Uma das medidas a tomar será o encerramento imediato das mesmas ate que a situação esteja controlada. É uma ousadia mas teremos que ser realistas. SE não der certo que não se demore a tomar esta medida de encerramento”.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos