O País – A verdade como notícia

Reabilitação da Catedral de Quelimane vai custar 300 mil dólares

As obras de património histórico de Moçambique são da iniciativa da Associação Bons Sinais e estão a ser suportadas pelas embaixadas da Noruega e dos Estados Unidos.

 

A histórica catedral e património de Moçambique foi construída no período entre 1776 a 1886 e funcionou até 1975 ano em que o nosso país alcança a independência nacional. Algumas informações em nosso poder indicam a idade da infra-estrutura, a escassa lotação de crentes no seu interior podem ter pesado a mudança daquela catedral para outra em 1976.

No estado de abandono, para além de vandalizada e roubados muito dos seus bens como sinos, alguns mármores, a infra-estrutura entrou em estágio avançado de degradação. Consta que muito mais tarde já nos anos 2000 padres afectos às novas instalações da catedral procuram através de fiéis e pessoas de boa vontade, angariar fundos para estabilizar a infra-estrutura, já que aos poucos a mesma ia ruindo.

Foi justamente neste sentido que associação bons sinais, compostas por filhos da terra, uns residentes fora do país, outros em Maputo capital do país, outros ainda em Quelimane, decidiram avançar para um movimento de busca de financiamento para evitar que a catedral ruísse e assim apagar toda a historicidade dos séculos passados. Através das embaixadas da Noruega e dos estados unidos foi possível angariar perto de 300 mil dólares como donativo, facto que efectivamente permitiu o curso das obras.

Edson Barros director das obras referiu que “o plano inicial era tentar reaproveitar grande parte da madeira que suportavam o tecto, mas com o decurso dos trabalhos sobre tudo quando estávamos a desmontar a estrutura, a situação foi contrária. Constatamos que muita parte da madeira estava já estragada” disse Barros adiantando que ainda assim foi possível alguma engenharia para juntar alguma madeira e incluir nas novas para montagem do tecto como forma de garantir a historicidade da catedral.

Segundo explicou espera-se que as até o ano 2022 seja feita a reinauguração das infra-estrutura. Os esforços estão a correr neste sentido para que coincida com 80° aniversário de Quelimane a aquela categoria. “Queremos parar a degradação do edifício e garantir que a conclusão destas obras sejam presente de aniversário para a cidade e para os munícipes que cá residem”.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos