O País – A verdade como notícia

Raúl no Ferroviário de Maputo, Parkim na AD Vilankulo

Longe, claramente, de se equiparar a outras paragens cujos valores envolvidos e mediatização colocam qualquer um “boquiaberto”, o mercado de transferências no futebol moçambicano já dá sinais de algumas movimentações.

Para já, assinalam-se “regressos”. Uns à terra que os viu nascer, outros a clubes que representaram no passado sem, no entanto, maravilharem.

Segundo classificado no Moçambola-2021 com 18 pontos, e com os olhos postos no título que lhe foge desde 2015, o Ferroviário de Maputo contratou, na segunda janela de inscrições, o internacional moçambicano Raúl, jogador que actuava no Fafe de Portugal.

O médio, de 24 anos, assinou um contrato válido por duas temporadas com o Ferroviário de Maputo.

Raúl já representou o Ferroviário de Pemba, Ferroviário de Nampula, Costa do Sol e Liga Desportiva de Maputo, dando, a parir deste último, o salto para o futebol português.

“Estou feliz por regressar a Moçambique e logo para um clube grande que é o Ferroviário de Maputo. É um clube que dispensa apresentações e que luta sempre pelos títulos. Sinto-me mais maduro do que há dois ou três anos. O futebol português, independentemente da divisão, é sempre competitivo e sinto que cresci bastante e estou pronto para ajudar o Ferroviário. Prometo golos e juntos vamos lutar para alcançar os objectivos definidos”, disse o jogador ao sítio do Ferroviário de Maputo, no acto da sua apresentação.

Falando desta contratação ao sítio do clube, Isidro Amade, Director Desportivo do Ferroviário de Maputo, disse que o médio é uma mais-valia para o Ferroviário de Maputo até porque é um jogador da seleccção nacional: “Estamos na janela de transferências e o clube está a tentar melhorar o plantel com mais qualidade, ajustando o défice que temos e equilibrar o nível de idades. Portanto, partimos com estes princípios para a contratação do Raúl, que é um jogador bem referenciado no país. É um jogador de selecção e neste momento faz parte dos quadros do Ferroviário para os próximos dois anos. Vem reforçar a equipa principal na perspectiva daquilo que são os nossos objectivos, que passam por ganhar os troféus que estão ou estarão em disputa no nosso calendário desportivo”, frisou Isidro Amade.

O Director Desportivo (DD) dos “locomotivas” da capital acrescentou que há, ainda, espaço para contratação de mais jogadores para se atacar o tão almejado título: “Estamos no mercado a procura de um ou dois jogadores para fazer face aquilo que são as necessidades da equipa em termos de ajustes. O treinador já disse quais são as posições a reforçar e inclusive há jogadores identificados, mas o segredo é a alma do negócio. Em tempo útil iremos anunciar. Paralelamente a entradas haverá também saídas. Aqueles que não se adaptaram ao modelo do treinador, teremos que ver como cedê-los para outros emblemas que queiram contar com os seus préstimos”, notou Amade.

 

PARKIM REGRESSA A VILANKULO

Com vista a garantir maior estabilidade e opções no sector intermediário, a Associação Desportiva de Vilankulo assegurou, nesta janela de transferências, os préstimos de Luís Melville Parkim.

O médio troca o Incomáti de Xinavane pelo actual quarto classificado do Moçambola-2021 com 14 pontos, marcando o regresso ao “Alto Massaca” dois anos depois.

Nado no Costa do Sol, clube que representou até 2016, Parkim rumou depois para a União Desportiva do Songo, clube que representou durante duas temporadas (2016-2018).

Depois, o médio ofensivo rumou para o Ferroviário de Maputo, conjunto que representou durante uma temporada.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos