O País – A verdade como notícia

Quarta vaga da COVID-19 está quase

Foto: O País

O país já está a fazer testes da COVID-19 em todos os pontos de entrada para o despiste da variante Ómicron do Coronavírus. Esta medida faz parte dos preparativos para a eventual quarta vaga da pandemia prevista para os meses de Dezembro e Janeiro.

O número de casos da COVID-19 na região austral de África tende a subir, em parte, associado à variante Ómicron, está a preocupar Moçambique e alimenta as certezas de que a quarta vaga é para breve, entre finais de Dezembro e Janeiro do próximo ano.

“Com o evoluir da situação epidemiológica na região, as nossas previsões se tornam mais realísticas em termos de ocorrência desta quarta vaga. Desde modo, antecipadamente, elaboramos o nosso plano de resposta a esta quarta vaga em Moçambique, cujo documento foi partilhado com todos os parceiros, dos quais recebemos valiosas contribuições”, indicou o ministro da Saúde, Armindo Tiago.

E fazem parte do plano de resposta à possível quarta onda, a testagem de todos os cidadãos que pretendam entrar no país a partir de qualquer ponto, um reforço da vigilância sanitária que o titular da pasta alertou que seria introduzido logo depois que soou o alarme na África do Sul. “Este facto vai aumentar as necessidades para a provisão desses serviços que são adicionais ao que estamos a fazer”, chamou à atenção, o ministro da Saúde.

O que o Ministério da Saúde está a fazer, por agora, é apostar mais na vacinação para melhorar os actuais índices de pessoas vacinadas. “Nós já vacinamos com uma dose 6.8 milhões de indivíduos, destes 4 milhões e trezentas mil pessoas estão completamente vacinadas, correspondendo, respectivamente, 40 e 26 por cento daquele grupo alvo”, revelou o governante.

O ministro da Saúde falava numa reunião bienal do sector com os parceiros de cooperação, que mostraram a sua disponibilidade em continuar a ajudar o país.

“Certamente, ainda há muito por fazer. É por isso mantemo-nos disponíveis para continuar apoio técnico e material necessários e de forma harmonizada para o sucesso desse importante programa”, reiterou Emren Ozaltin, em nome dos parceiros do Ministério da Saúde.

Ainda no encontro, Armindo Tiago revelou que foram alocados camiões móveis para a provisões de serviços essenciais às populações deslocadas pelo terrorismo em Cabo Delgado.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos