O País – A verdade como notícia

Provedor de Justiça pede movimento amplo de solidariedade às vítimas do terrorismo

O número de refugiados das zonas afectadas pelo terrorismo em Cabo Delgado cresce a cada dia. Uma equipa do gabinete do Provedor do Justiça visitou a província na última semana de Outubro e constatou “situações graves”.

“É verdade que há um apoio que está a ser feito. Temos visto as movimentações do Instituto Nacional de Gestão de Calamidades, bem como de outras pessoas de boa vontade. Mas esse esforço ainda é insuficiente”, considera Isaque Chande.

“Devíamos rebuscar experiências do que fizemos quando ocorreu o ciclone IDAI. Devíamos rebuscar essa experiência para apoiarmos os nossos irmãos de Cabo Delgado e do centro do país”, sugere o provedor

Apesar das “graves situações” causadas pela violência armada em Cabo Delgado, em alguns pontos afectados pelo terrorismo busca-se pelo retorno à normalidade, tal é o caso de Muidumbe onde o administrador exigiu, recentemente, o regresso dos funcionários e agentes do Estado que tinham abandonado o distrito, devido ao clima de insegurança.

“Acredito que os governos locais trabalham em estreita ligação com as Forças de Defesa e Segurança. À medida que as condições de segurança vão melhorando nesses locais, há toda uma preocupação do Estado voltar a funcionar com alguma regularidade”, entende Chande.

De um modo geral, Cabo Delgado continua sob cenário sombrio. O que o Provedor de Justiça espera é que a breve trecho haja vitória contra o terrorismo.

Isaac Chande falava esta sexta-feira, em Maputo, momentos após o lançamento do Fórum de Monitoria do Mecanismo de Revisão Periódica Universal dos Direitos Humanos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos