O País – A verdade como notícia

PRM reafirma que agiu em legítima defesa

A Polícia da República de Moçambique (PRM) reitera que os sete indivíduos mortos a tiro, última sexta-feira, na Matola eram criminosos. O Comando-geral diz ainda que os agentes no terreno agiram em legítima defesa.

A Polícia respondia assim às mais variadas críticas sobre a actuação dos seus agentes, que resultou na morte de sete jovens. Inácio Dina, porta-voz do Comando-geral, reafirmou que os agentes foram obrigados a agir em legítima defesa, quando os suspeitos que estavam a ser perseguidos começaram a disparar contra as autoridades.

Neste momento, a Polícia está a trabalhar no sentido de identificar os familiares das sete vítimas mortais. Apesar do ataque surpresa do grupo suspeito de cometer vários crimes na Matola, a Polícia diz que não sofreu danos.

Ainda na semana passada, a Polícia neutralizou, na cidade de Maxixe, em Inhambane, duas quadrilhas que se dedicavam ao roubo de viaturas do tipo “mini-bus”. O primeiro grupo, composto por pessoas com idades entre 27 e 34 anos, efectuava as suas incursões na cidade e província de Maputo. O grupo foi neutralizado no dia 14 de Agosto, em Inhambane, quando tentava vender uma viatura de marca Toyota Hiace, roubada uma semana antes em Marracuene, província de Maputo. A segunda quadrilha perpetrava as suas acções na província de Inhambane.

Durante a última semana, a Polícia registou 131 casos criminais e apreendeu oito armas de fogo. Por outro lado, registou 25 acidentes, que resultaram em 20 mortos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos