O País – A verdade como notícia

PRM atribui ataques armados de ontem em Sofala à Junta Militar da Renamo

A Polícia da República de Moçambique (PRM) diz que os ataques armados ocorridos no domingo entre os distritos de Gorongosa e Nhamatanda, na província de Sofala, foram protagonizados pela Junta Militar da Renamo.

As incursões foram contra autocarros de transporte de passageiros e camiões de cargas na Estrada Nacional número um (EN1). Duas pessoas morreram e outras oito ficaram feridas.

“Confirmamos” e os ataques “foram protagonizados por homens da Junta Militar da Renamo. Estiveram escondidos nas matas, na fronteira entre os distritos de Gorongosa e Nhamatanda, na Estrada Nacional número um”, disse Daniel Macuácua, porta-voz da PRM em Sofala.
O agente da lei e ordem explicou ainda que a corporação presume que as armas usadas pela Junta Militar da Renamo sejam “do tipo AKM.

Disparam vários tiros contra cinco viaturas, sendo quatro autocarros, que faziam o trajecto sul-norte, e uma minibus, que seguia viagem de Inchope para Gorongosa”.

“Infelizmente, uma pessoa morreu no ataque e outras nove contraíram ferimentos, sendo uma com gravidade e que foi transferida para o Hospital Provincial de Manica”, explicou a fonte. Contudo, “O País” apurou que o cidadão gravemente ferido viria a perder a vida no Hospital Provincial de Manica.

A Polícia não confirmou e nem desmentiu a informação relativa à ocorrência de um outro ataque, próximo da ponte sobre o rio Guengere, no distrito do Búzi em Sofala, na EN1, contra dois camiões. Não houve vítimas humanas.

A PRM garantiu que a circulação de pessoas e bens na EN1, em Sofala, decorre normalmente, não obstante as incursões armadas havidas.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos