O País – A verdade como notícia

Presidente da República apela para maior vigilância no combate à pesca ilegal

Sob o lema “Incrementar a produção, promovendo a resiliência costeira e pesqueira” o mundo celebra, hoje, o Dia Mundial da Pesca.

Numa mensagem enviada ao “O País”, o Presidente da República apela para maior vigilância no combate à pesca ilegal e uso de práticas prejudiciais à sustentabilidade da pesca.

Filipe Nyusi reitera o compromisso do Governo de trabalhar com todos os intervenientes na cadeia de valor da pesca, na criação de condições que aumentem a resiliência das comunidades e desenvolvam formas sustentáveis e justas de pesca rumo a uma economia azul cada vez mais forte.

“O lema deste ano remete-nos para a necessidade de uma nova visão sobre a pesca que procure responder as novas ameaças que a pesca marinha e das águas interiores enfrentam para atingirmos a meta de um mundo sem desnutrição e fome. Entre as adversidades, temos o crescimento da população, a redução dos estoques do pescado, a crescente procura de alimentos aquáticos, a degradação do meio ambiente e as mudanças climáticas em particular em zonas costeiras”, diz o Chefe do Estado.

Na sua mensagem, o Presidente Nyusi destaca a importância do Dia Mundial da Pesca na conservação do oceano e da vida marinha.

“Esta efeméride chama-nos a atenção mensagem do Chefe do Estado importância dos produtos da pesca e a necessidade de preservação do habitat do peixe e outros produtos aquáticos por constituírem a fonte de sustento e segurança alimentar para muitos, em particular para as comunidades dos pescadores”, lê-se na mensagem.

Porque “pescar de forma responsável é desenvolver Moçambique” e “as mudanças climáticas e a preservação do ambiente exigem de nós todos a capacidade de adaptação das nossas práticas de pesca”, Filipe Nyusi saudou os pescadores, armadores, processadores de pescado e demais profissionais ao longo da cadeia de valor da pesca pelo seu empenho, dedicação e devoção a esta actividade que muito tem contribuído para o crescimento da nossa economia.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos