O País – A verdade como notícia

Preparação ao Africano de hóquei será feita com provas internas

Quando falta pouco mais de um mês para o africano de hóquei em patins, em Angola, prova que qualifica o representante de África ao mundial de Barcelona, a selecção moçambicana ainda não tem definida a sua preparação.

Entretanto, Nicolau Manjate, presidente da Federação Moçambicana de Patinagem, garante que até próxima semana será divulgada a convocatória dos pré-seleccionados e assegura, ainda, que a preparação será feita com base em provas internas.

“Vamos ter uma reunião já amanhã (hoje), com a nossa técnica e dai vamos definir quando inicia a preparação da selecção nacional. A pré-convocatória já temos e vai ser divulgada próxima semana, altura que vamos divulgar o plano todo.Mas, de princípio, as provas que vamos ter, nomeadamente a Supertaça, os outros torneios e o campeonato da cidade vão servir de preparação para a nossa participação no africano de Angola”, assegurou o presidente da Federação Moçambicana de Patinagem.

Ademais, Nicolau Manjate está convicto que o combinado moçambicano vença o africano de Angola e qualificar-se para o mundial de elite em Barcelona.

Afinal só o vencedor vai participar no mundial de elite, o conhecido grupo A, composto pelas oito melhores selecções mundiais, enquanto o segundo classificado vai para o conhecido grupo B, que vai qualificar as duas primeiras classificadas para o grupo de elite.

Manjate, convicto na vitória africana, diz que a prova de Angola vai servir de preparação para o mundial de Barcelona, em Julho próximo.

“Este é um ano de muitas actividades importantes e temos que aproveitar todas elas para mantermos o estatuto de grandes no hóquei em patins. E vamos aproveitar esta participação em Angola para preparar a nossa participação no mundial de Barcelona”, assegura.

O africano de 2019, que terá lugar de 08 a 10 de Março, vai contar com a participação das selecções de Angola, anfitriã, Moçambique, África do Sul e Egipto.

Para já, a época de hóquei em patins vai abrir a 18 de Fevereiro, com a disputa da supertaça, seguindo-se o campeonato da cidade e mais tarde o nacional de juniores, que será disputado por equipas de Maputo, Nampula e Quelimane, cidades que já movimentam esta modalidade.

Segundo Nicolau Manjate este é o culminar de um projecto que visa a formação e massificação da modalidade pelo país todo, sendo que está a ser feito de forma faseada.

Até ao momento, espera que a modalidade possa ser praticada, também, ao nível das escolas, estando na fase de busca de parceiros que ajudem na aquisição do material da prática da modalidade.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos