O País – A verdade como notícia

Preços de bens e serviços mais altos em Moçambique

O custo de vida aumentou 6,67%, em Março passado, quando comparado ao período homólogo de 2021. Dados do Instituto Nacional de Estatística apontam que a cidade de Nampula liderou, com 7,96%, a tendência de subida de preços.

Os preços dos principais produtos têm vindo a disparar como consequência da guerra na Ucrânia, mas as análises do Instituto Nacional de Estatística mostram, no seu Índice de Preços ao Consumidor, que não só aumentaram os preços dos combustíveis como também dos diversos bens e serviços. De Fevereiro a Março deste ano, a inflação foi de 0,70%, quando comparado com o mesmo mês de 2021.

“Em relação à variação mensal por produto, é de destacar o aumento dos preços da gasolina (5,8%), do óleo alimentar (8,0%), da cebola (8,7%), do gasóleo (7,2%), do peixe seco (2,8%), do gás butano em botija (11,1%) e do sabão em barra (4,2%). Estes contribuíram no total da variação mensal com cerca de 0,72pp positivos”, avança o Índice de Preços no consumidor do INE.

O documento realça que alguns produtos com destaque para o tomate, o coco, as motorizadas, a alface, o amendoim, o carvão vegetal e o pepino contrariaram a tendência de aumento, ao contribuírem com cerca de 0,19 pontos percentuais negativos.

Analisando a inflação homóloga, o Índice do Preço ao Consumidor revela que, na subida do custo de vida em 6,67 %, as divisões de transportes, de restaurantes, hotéis, cafés e similares e de alimentação e bebidas não alcoólicas foram as que registaram maior variação de preços com cerca de 10,04%, 8,45% e 7,80%, respectivamente.

Ainda na mesma variação, consta do relatório do Instituto Nacional de Estatística que a cidade de Nampula liderou a tendência de subida de 7,96%, seguida pela Cidade de Maputo com cerca de 6,63% e, por último, a cidade da Beira com 5%.

Durante o primeiro trimestre do ano em curso, o país registou um aumento de preços na ordem de 3,34%. As repartições de alimentação e bebidas não alcoólicas e de transportes foram as de maior destaque, ao contribuírem, no total da variação acumulada, com cerca de 1,80 e 0,90 pontos percentuais positivos, respectivamente.

“Importa destacar o aumento dos preços do tomate, da gasolina, dos transportes semi-colectivos urbanos e suburbanos de passageiros, do óleo alimentar, de veículos automóveis ligeiros em segunda mão, da cebola e do peixe fresco. Estes comparticiparam com cerca de 2,09pp positivos na total variação acumulada.”

Ainda sobre a variação acumulada, a cidade da Beira teve a maior subida do nível geral de preços, com cerca de 5,44%, seguida pela cidade de Nampula, com 3,02%, e de Maputo com 2,78%.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos