O País – A verdade como notícia

PR orienta cerimónia de abertura do ano lectivo em Nampula

Esta sexta-feira, o Presidente da República vai dirigir a cerimónia oficial de abertura do ano lectivo no distrito de Monapo, em Nampula. Entretanto, nalgumas escolas secundárias daquela província, continua o processo de matrículas para a 8ª classe.

Faz-se limpeza na Escola Primária da Serra da Mesa.  Os encarregados de educação consultam as listas para saberem em que salas vão estudar os seus educandos, enquanto o pessoal administrativo faz os últimos trabalhos preparatórios para o ano lectivo 2021.

Na Escola Secundária 12 de Outubro há muitos pais e encarregados de educação a matricularem os seus educandos que transitaram da 7ª para a 8ª classe.

“Este movimento tem a ver com a conclusão dos nomes que constavam das listas, dado que algumas listas só agora é que aparecem”, anota Pedro Salvador, director daquela escola localizada na periferia da cidade.

Na Escola Secundária de Nampula também decorrem as matrículas para os novos ingressos e a direcção assegura que até segunda-feira, tudo estará pronto para o arranque das aulas presenciais, tal como assegurou o respectivo director, Albertino Luís.

“Estamos a preparar as salas de aulas em termos de turmas, porque como vêem, há escolas primárias que nos entregaram as listas de forma atrasada e temos que atender esses alunos porque não podemos deixá-los de fora e em relação aos efectivos, estamos a prever ter 8777 alunos, uma subida de cerca de 725 alunos comparando com o ano passado”, explicou Luís.

Entretanto, mesmo com toda a preparação possível para evitar que as escolas sejam um foco de contaminação e propagação do novo coronavírus, prevalece a preocupação por parte de alguns pais e encarregados de educação.

“É o tema do dia-a-dia, esta situação da COVID-19. A preocupação é maior. A gente explica os miúdos para precaverem-se. A expectativa de voltarem à escola é maior, mas não há muita segurança. A situação está muito complicada. Não sei como é que o Ministério vai enfrentar esta situação”, interroga-se Ibrahimo de Oliveira.

Apesar de tudo, os alunos, esses, estão ansiosos em voltar à escola depois de muitos meses de confinamento. “Espero que este ano seja diferente e que essa COVID-19 passe logo para que possamos recuperar o tempo perdido”, apela Nilza Agostinho, aluna da 11ª classe.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos