O País – A verdade como notícia

“Pouco se sabe sobre autismo em Moçambique”

Foto: O País

Sofrem estigma de uma condição social da qual pouco se sabe. Em muitos casos, não têm acompanhamento médico e a falta de informação condiciona a inserção social deste grupo. Referimo-nos a pessoas com autismo.

Hipólito e Alenane contam a história dos seus dois filhos, um menino e uma menina que se fecharam ao seu mundo particular aos três anos, o que foi estranho para o casal que decidiu fazer diagnóstico. Veio a surpresa. “Foi um choque, nós nem se quer sabíamos o que era autismo”.

Sem muito que fazer, os país, tiveram que buscar mais informações sobre a condição do filho e dar um tratamento especial, um momento, que não foi fácil para a família. “Complicou-se mais quando depois de um ano a nossa menina também nasceu com autismo”, contou.

Com dois filhos autistas, a vida da família mudou radicalmente. “Os nossos filhos não falam, facilmente esquecem o caminho de voltar a casa, esquecem o seus próprios nomes, o roncar dos motores de carro, por exemplo, é perturbador”. São estes os desafios que várias pessoas com autismo ainda enfrentam, entre eles o estigma na sociedade. “Porque ter essa condição, as pessoas olham com preconceito e consideradas estranhas pela sociedade devido a falta de informação”.

Katia Aida é terapeuta e diz que o autismo nunca foi doença, pois entende que é apenas uma predisposição genética, “eles estão no mundo deles, fecham-se e não socializam”, explicou. A terapeuta reconhece a falta de técnicos especializados para atender este grupo.

Brincar isolados e sozinhos é a realidade de várias pessoas autistas cujos dados, seu próprio país desconhece. “Em Moçambique não existe estatística da população autista”. Segundo Nélia Macondzo, presidente da Associação Moçambicana dos Autistas, é uma das ambições das associação fazer o trabalho junto do Ministério da Saúde e de educação com vista a mudar o cenário.

São estes e vários problemas que levaram a Associação Moçambicana de Autistas a juntar seus membros na manhã deste sábado para apelar pela consciencialização.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos