O País – A verdade como notícia

Pontualidade e Assiduidade: Qual o impacto para as empresas e para a economia do nosso belo Moçambique

Ser pontual é comparecer à horas no seu local de trabalho como previamente acordado no seu contrato de trabalho. Por outro lado, ser assíduo significa comparecer regularmente no seu local de trabalho. 

Já lá se vão os tempos em que, com meu irmão mais novo e minhas 2  irmãs mais velhas, íamos visitar Vovô Rabeca em Tsalala onde íamos comer * mimanga ni tinyumi. O machimbombo passava pelo Jardim dos Madjermanes às 9h30, nosso horário preferido dos sábados e era de nr. 50, se a memória não me falha.  Nessa altura sabíamos que era apenas questão de sair de casa  a tempo para conseguir o machimbombo e sabíamos também que um minuto de atraso significava que o mesmo já teria passado e que a solução seria esperar pelo próximo que estávamos certos que chegaria a horas.
Nessa altura era ainda possível ver os tios Manhique, Rodolfo e Miguel entrarem na praceta da Belita para almoçar por volta das 13h e regressarem ao trabalho alguns minutos depois de passarem a refeição em casa, sinal de que a hora de entrada e a saída do trabalho, assim como os horários de transporte eram respeitados à letra. Os tempos mudam e alguns hábitos e costumes também. Como seres humanos que somos, temos de saber nos adaptar, no entanto, porque mudar os hábitos que nos são benéficos?
Chegar atrasado ao trabalho e as reuniões
Na sociedade desenvolvemos a ideia de que chegar tarde ao trabalho e/ou às reuniões profissionais e pessoas é sinônimo de importância. Nas empresas públicas e privadas em Moçambique esta é uma prática corrente e recorrente. Lembro-me de ter tido, numa das empresas em  que trabalhei, 2 colegas  que chegavam ao trabalho atrasadas invariavelmente todos os dias, mas não porque tinha imprevistos. Pude observar com o tempo uma espécie de competição entre elas, que resultou com que chegassem cada vez mais tarde, como forma de mostrar sua importância , ao ponto de chegarem várias vezes mais tarde até que o  nosso próprio chefe.
Este hábito podemos também observar nos nossos dirigentes públicos. A poucos meses fui convidado para um webinar onde devia estar presente um dos nossos actuais ministros. O ministro chegou cerca de 30 minutos depois da hora marcada, não se desculpou e não ficou até ao fim da reunião. Demonstração de falta de educação, falta de respeito à equipe que lhe convidou mas também falta de compromisso ao povo de que é servidor.
Consequência da falta de pontualidade e assiduidade
Não me lembro de ter estudado sobre a importância do horário, pontualidade e nem assiduidade durante meus anos de estudo. Numa altura em que os “soft skills” constituem um dos problemas que os empregadores se deparam nos seus colaboradores, penso que seria primordial que temas destes sejam abordados em algumas disciplinas nas nossas instituições de ensino.

A falta de pontualidade tem várias consequências que podem ser diretas ao colaborador como por exemplo a perda de credibilidade nos olhos do empregador, assim como desconto na sua folha de salário. Mas o mais importante são efeitos que estes hábitos causam ao nível da empresa, notadamente o nível de produtividade, queda de resultados  financeiros da empresa, perda de clientes.
Este comportamento negativo pode ser prejudicial na relação entre os colaboradores, pois em alguns casos a ausência de um pode impedir que trabalho do outro avance, o que é desmotivante para o colaborador assíduo.
As consequências da falta de assiduidade e pontualidade  vão para além do impacto negativo na vida dos colaboradores e no desempenho das empresas. Nós somos seres interdependentes, assim são as empresas e os países. Quando um simples trabalhador não cumpre com o seu dever na empresa, ele na mesma altura está a faltar com o seu dever e responsabilidade como cidadão moçambicano. A ineficiência profissional de um colaborador na extração de matéria-prima (madeira) tem consequências financeiras para a empresa de transporte, que por sua vez prejudica a empresa fornecedora de matéria-prima, as empresas de produção de papel, assim como as empresas de fabricação de caderno escolar e que finalmente acaba por atrasar o início do ano letivo.  Esta interdependência deve ser do conhecimento dos colaboradores. Acredito eu que, se os colaboradores tiverem consciência da importância que os mesmos exercem nesta cadeia de valores para o desenvolvimento das suas empresas assim como de Moçambique, eles serão mais  assíduos e pontuais.
Ser pontual possibilita que o colaborador saia a horas do trabalho. Penso que os líderes devem incentivar os colaboradores a saírem à horas do trabalho (salvo situações excepcionais). Geralmente os colaboradores que saem tarde do trabalho também chegam tarde a casa, o que não lhes possibilita de passar tempo de qualidade com as suas famílias. “Os líderes não devem ajudar os seus colaboradores apenas com os seus trabalhos mas também com as suas vidas”. Família cria equilíbrio nas nossas vidas, poder passar no mínimo uma refeição  e algumas horas de qualidade com a família diariamente ajuda na performance e motivação dos colaboradores, pois no final trabalhamos para as nossas famílias. O hábito de aquecer cadeira para impressionar o superior devia ser condenado e corrigido pelos líderes, 8 horas bem organizadas são mais do que suficientes para que os colaboradores apresentem resultados diários esperados (salvo exceções).
Trabalho remoto
Não obstante o facto de termos de trabalhar de casa devido à situação excepcional que o mundo atravessa, a pontualidade e assiduidade continuam sendo de grande importância para a performance do colaborador e produtividade das empresas. Não devemos relaxar, e para tal é preciso organizar o dia de trabalho como se tivessemos de sair de casa, programar o alarme como habitual, trocar de roupa, organizar um espaço confortável de trabalho e engajar-se no trabalho a hora certa. Na mesma senda, organizar a hora de almoço, programar e organizar o(s) períodos para a(s) pausa(s), assim como hora para terminar o dia de trabalho. Agindo assim continuaremos a ser eficazes e produtivos.
Que terá falhado durante  estes anos para que moçambicanos tenham perdido estes hábitos
Pontualidade e assiduidade
Falta de formação? Perda de valores culturais?
Difícil de encontrar uma razão em particular para este grave problema que afecta a nossa sociedade, o que é certo é que devíamos encontrar soluções, quer sejam no plano de formações ou de outra qualquer outra natureza. Numa altura em que trabalho remoto está a tornar-se (quase) um norma mundialmente, se esta tendência continuar, vamos observar brevemente que boa parte do trabalho que seja possível de ser feito por remoto será confiado a profissionais no estrangeiro, o que de alguma forma já é o caso em alguns sectores.  Marcar reunião e não aparecer, prometer ligar e não cumprir, chegar tarde ao trabalho, apresentar-se ao trabalho quando bem entender custa muito caro ao nosso Moçambique e pode também custar, em última instância, os nossos próprios empregos. Somos sim capazes de mudar esses maus hábitos se começarmos por os assumir.

*mangas e amendoim – língua chope (sul de moçambique)

Recomendação de livro para o  mês de Dezembro: ” Make Time: How to Focus on What Matters Every Day –  Jake Knapp & John Zeratsky”
Samuel Gerson Andrisse
Especialista de recrutamento
Autor do livro “Be ready for your next job interview”

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos