O País – A verdade como notícia

Poesia de Bonde brilha em concurso no Brasil

O poema “Sugar a tempestade da infância” do poeta M. P. Bonde ficou em segundo lugar no Prémio Escriba da Poesia 2018. O poema faz parte de um projecto, poético, já terminado intitulado “Se eu pudesse agora e sempre produzir alvoradas”. “Ensaios Poéticos” foi o conjunto de textos que lançou o poeta às prateleiras literárias nacionais. Depois veio o livro “A descrição das sombras” – Prémio Literário Fernando Leite Couto.

“A minha participação neste concurso visava procurar uma maior visibilidade do meu trabalho visto que a literatura não tem fronteiras. Sendo de um país periférico a nossa inserção no sistema literário passa também por participar em antologias e concursos literários organizados em países falantes de Português”, disse o Poeta.

Por outro lado, o autor de “A descrição das sombras” refere que talvez essa distinção, nas terras de Vinícius de Moraes, possa ser um estímulo para conseguir uma boa distribuição e muitos leitores dentro do espaço literário brasileiro e não só. “O Brasil nos últimos anos tem tido preocupação com a literatura feita em África e neste sentido, achei importante participar deste concurso”.

Sobre a poesia de Bonde, o poeta moçambicano Luís Carlos Patraquim disse: “a poesia de Bonde tem como patrono um poeta lírico, delicado e luminoso e universal, que pegue no cajado nodoso do pastoreio dos gados de deus e lhes alime as farpas e as aguce se necessário e lentamente, por uma vida longa, ao menos contemple o ouro alquímico”.

O concurso é organizado pela Prefeitura do Município de Piracicaba, por meio da SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) e Biblioteca Pública Municipal “Ricardo Ferraz de Arruda Pinto” do Estado de São Paulo.

O Prémio Escriba é um concurso literário de projecção que recebe trabalhos em português vindos de todo o Brasil e também de outros países, notadamente Portugal, Angola, Moçambique, Estados Unidos, Japão, entre outros. O Prémio teve sua primeira edição em 1990, na modalidade Poesias. Em 1997, foi instituída a edição para Contos, e, a partir de então, os dois géneros passaram a se alternar a cada ano. Em 2011, foi criado o Prêmio Escriba de Crónicas, completando o anseio da Organização e dos Participantes de abarcar mais amplamente os géneros literários. Dessa forma, alternando anualmente Poesias, Contos e Crônicas, o Escriba chega, em 2018, com o 14º Prêmio Escriba de Poesia, a sua 26ª edição.

M.P.Bonde nasceu a 12 de Janeiro de 1980 em Maputo. Foi membro do projecto (JoAC) Jovens e Amigos da Cultura entre 2003-2004. Em 2004 é convidado para fazer parte do grupo Arrabenta Xithokozelo onde animam as noites de poesia e música no Modaskavulu do Teatro Avenida. Tem textos publicados na colectânea Arqueologia da Palavra, e em revistas electrónicas.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos