O País – A verdade como notícia

PME desafiadas a aproveitar oportunidades em Nampula

As Pequenas e Médias Empresas (PME) de Nampula foram desafiadas a aproveitarem as potencialidades existentes na província para estimularem e desenvolverem os seus negócios, aproveitando também os mega-projectos para a criação de alianças. 
O desafio foi imposto no lançamento do concurso 100 Melhores PME em Nampula, que acolheu a primeira cerimónia a nível provincial. O concurso que distingue as 100 melhores pequenas e médias do país e que está na sua sexta edição, tem como lema: “Fortalecer as cadeias de valor de conteúdo nacional”, visa impulsionar o crescimento das PME para torna-las mais fortes e flexíveis, de forma a responderem aos desafios dos grandes projectos.
“Fortalecer as cadeias de valor de conteúdo nacional e tornar as PME mais fortes e flexíveis para responder aos desafios dos grandes projectos que se vão concretizar proximamente e aqueles já implementados permitem às pequenas e médias empresas que participem na cadeia de valor, desde que se ajustem às exigências, percebam o potencial e a dimensão que devem comportar para participar neste processo de desenvolvimento”, explicou Aniceto Manhique, representante do grupo Soico, organizador do concurso.  
O representante do grupo Soico destacou ainda a importância das empresas aproveitarem o concurso para se exibirem apresentando os seus serviços e produtos, gerando mais riquezas para a província que até então é tida como a mais populosa do país.
Norberto João, director provincial da Indústria e Comércio, faz referência que a aposta nas PME vai ajudar na diversificação da economia nacional, aumentando, deste modo, a produção nacional. 
“Esta é a época das PME não só porque elas representam a maioria do universo das empresas no país, mas porque são elas que dinamizam, estruturam e impulsionam a economia. A busca actual pela diversificação da economia, sobretudo, centrada nos sectores produtivos tem nas PME o braço de inclusão”, disse o governante. 
Nesta edição, serão atribuídos certificados de qualidade para os três primeiros colocados, como forma de facilitar a ligação com os grandes projectos e as multinacionais.
“Nesta edição, introduzimos a certificação de qualidade para os três principais vencedores. Este é um factor determinante para a ligação aos grandes projectos, refiro-me aos projectos de mineração de gás entre outros”, referenciou José Libombo, director geral-adjunto do Instituto de Promoção das Pequenas e Médias Empresas (IPEME). 
O concurso 100 Melhores PME é organizado pelo grupo Soico e o IPEME, tendo a parceira do BCI, Indico Seguros, da Ordem dos Contabilistas e Auditores de Moçambique (OCAM), e Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA). A iniciativa pretende distinguir as PME e promover as boas pratica no sector empresarial.  
Iniciativa expõe as PME ao mercado nacional 
Os parceiros do projecto 100 Melhores PME consideram que a iniciativa dá visibilidade ao trabalho efectuado por este grupo e estimula o surgimento de mais empreendedores nacionais. Os parceiros alertam aos agentes económicos que é necessário uma melhor organização das empresas, de forma a garantirem a capitalização de oportunidades. Por outro lado, reconhecem que o caminho a ser percorrido pelas PME não será fácil, mas se as mesmas conseguirem identificar oportunidades, conseguiram lograr grandes feitos. 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos