O País – A verdade como notícia

PM sudanês demite-se sete semanas após acordo com militares golpistas

Foto: Reuters

O primeiro-ministro do Sudão, Abdullah Hamdok, anunciou ontem através da televisão a sua demissão, 42 dias depois de ter alcançado um acordo com os militares para regressar ao cargo, do qual foi deposto em Outubro último.

A renúncia de Hamdok surge no mesmo dia em que o país testemunhou uma nova jornada de manifestações contra o golpe de Estado de 25 de Outubro e contra o acordo com o líder da junta militar, Abdel-Fattah al-Burhan, escreve o Notícias ao Minuto.

Pelo menos três manifestantes foram mortos durante as manifestações, segundo o Comité dos Médicos do Sudão, um sindicato da oposição, tendo o total de vítimas mortais relacionadas com os protestos contra o golpe subido para 57.

Na sua comunicação, Hamdock declarou ter feito tudo o que foi possível para evitar a tal situação no país.

Os protestos intensificaram-se no Sudão desde que o líder militar sudanês, o general Abdel-Fattah al-Burhan, e o primeiro-ministro Abdullah Hamdok, destituído no golpe de Estado de Outubro, chegaram a um acordo, em finais de Novembro, para repor o último em funções e estabelecer um novo roteiro para as eleições no país, previstas para 2023.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos