O País – A verdade como notícia

PGR sem localização exacta e comprovada dos bens de “Nini” para sua recuperação

A Procuradoria da Cidade de Maputo diz que ainda não tem a localização exacta e comprovada dos bens do Abdul Satar para sua recuperação a favor do Estado e avança que já terminou a instrução preparatória sobre os dois processos-crime contra o cidadão mais conhecido por Nini.

Em Julho passado a Procuradoria-Geral da República anunciou a captura de Nini Satar, que deixou o país em 2014 quando estava em liberdade condicional após ter cumprido pena por envolvimento no homicídio do jornalista Carlos Cardoso.

Das diligências encetadas, com o apoio das autoridades congéneres, foi possível a localização e captura do cidadão Momade Assif Abdul Satar, conhecido Nini Satar".

Dois meses depois a Procuradora Chefe da Cidade de Maputo Amélia Machava, disse hoje ao jornal O País, que a Procuradoria-Geral terminou recentemente a fase de instrução dos processos contra Abdul Satar.

“ Em relação aos dois processos devo dizer que a nível da procuradoria nós já terminamos a instrução e os processos estão em tribunal. Um deles que é o processo relativo ao uso de documentos falsos já está em instrução contraditória ao nível do tribunal e o outro ainda aguarda diligências processuais na secção em que se encontra.

Há pessoas que foram ouvidas e não posso estimar o número e a instrução começou a semanas e ainda não findou, certamente ainda está no processo de audição e busca de provas ”.Disse Amélia Machava, Procuradora-Chefe da C. Maputo

A Procuradoria na Cidade de Maputo diz que continua na busca dos bens do Nini que até o momento ainda não foi possível ter uma localização exacta e comprovada dos seus bens.

“ Nós já estamos neste processo de busca de bens do cidadão Nini Satar a bastante tempo, como devem estar recordados ele foi condenado no processo da fraude do caso BCM, há valores do estado por recuperar e se soubermos ou tivermos informações exactas da sua localização o estado acionará com certeza todos os meios de cooperação internacional que tem ao seu dispor para que esses bens retornem. No território nacional ainda não foram recuperados porque é a tal coisa da falta de registo ou então os bens podem estar não sei, em nome de terceiras pessoas mas não temos indicação da localização exacta e comprovada dos bens do Nini Satar” Acrescentou Amélia Machava – Procuradora-Chefe da C. Maputo

Na altura da sua captura, Nini Satar, tinha autorização judicial para sair do país para tratamento médico, e foi encontrado com um passaporte falso, em nome de Sahime Mohammad Aslam.

Nini Satar, que havia cumprido metade da sua pena, é também indiciado em casos de raptos, mas os processos ainda estão em investigação.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos