O País – A verdade como notícia

Petróleo ainda vai subir

Tudo indica que o ano 2022 vai continuar a ser de aumentos do preço do petróleo no mercado internacional. Segundo o Banco de Moçambique, entre Janeiro e Março do presente ano, o preço do brent subiu em 49% e o de trigo em 45%, tendência que se espera manter até ao fim do ano.

Trata-se de uma situação que pode agravar ainda mais os preços dos combustíveis no país, tidos, actualmente, como elevadíssimos, se comparados com os que vinham sendo praticados até antes de Novembro do ano passado. Só no próximo ano é que se espera que a situação possa melhorar.

É que com o aumento da pressão sobre os preços de bens administrados, em linha com o aumento do preço de brent, gás e trigo no mercado internacional, impulsionado pelo conflito entre Rússia-Ucrânia, pode repercutir-se no agravamento dos custos de produção e consequente aumento de preços a nível doméstico, segundo o regulador do sistema financeiro.

Só para se ter uma ideia, em apenas três semanas, após a invasão à Ucrânia pela Rússia, o mundo registou um aumento significativo dos preços de gás (4%), do brent (14%) e do trigo (17%).

“Um dos canais de transmissão do conflito Rússia-Ucrânia na economia doméstica é o preço internacional do petróleo, que aumentou em 29,3%, após a eclosão do conflito, para USD 127,98 em apenas sete dias, situando-se acima do pico registado em 2014”, entende o banco central.

E essa guerra acontece num contexto em que a Rússia fornece 40% do gás consumido na União Europeia, e este país e a Ucrânia são responsáveis por cerca de 29% da exportação mundial do trigo, além de serem dos maiores exportadores de fertilizantes e de óleo de girassol no mundo.

Segundo o Banco de Moçambique, o conflito na Ucrânia veio “exacerbar a problemática que o mundo vem enfrentando na cadeia logística internacional, condicionando ainda mais a disponibilidade de bens e serviços a nível global, encarecendo os custos com a importação de alimentos e bens energéticos (brent e gás) a nível externo”.

Tendo em conta a mais recente revisão em alta dos preços dos combustíveis no país, concretamente em Março, nomeadamente, gasolina (12,09%), gasóleo (15,01%), petróleo (4,61%) e gás (13,33%), o banco central espera um impacto directo no nível geral de preços de cerca de 0,87 pontos percentuais entre Março e Abril de 2022, elevando, assim, o custo de vida.

“Considerando o peso dos combustíveis (7,0%) e dos alimentos (34,0%), com destaque para o trigo, com 4,16%, no índice geral de preços no consumidor, os significativos aumentos dos preços destas mercadorias, ao nível global, poderão resultar num aumento dos preços domésticos”, aponta o Banco de Moçambique.

Entretanto, o impacto poderá ser maior devido aos efeitos indirectos que advêm do uso dos combustíveis como matéria-prima em todos os sectores de actividade, com destaque para os transportes, com um peso de 3,82% no cabaz do Índice de Preços do Consumidor, refere o regulador do sistema financeiro.

Entretanto, o banco central alerta que o ligeiro abrandamento da procura externa, a menor volatilidade da taxa de câmbio do Metical, as medidas do Governo com vista a mitigar o impacto da subida de preços de combustíveis, combinadas com o aumento da taxa de juro de Política Monetária pelo Comité de Política Monetária, poderão amortecer a pressão inflacionária, contribuindo para que, a médio prazo, a inflação se posicione na banda de um dígito.

Estas informações constam do relatório de Conjuntura Económica e Perspectivas de Inflação, que destaca os aumentos dos preços do trigo e seus derivados; semente e óleo de girassol; e adubos e fertilizantes, dos quais o país é importador líquido.

Importa lembrar que, com o agravamento do preço dos combustíveis, Moçambique passou a vender a gasolina a 77,39 Meticais o litro. Mesma quantidade é vendida a cerca de 23 Meticais em Angola, 26 Meticais na Nigéria, 40 Meticais na Etiópia, cerca de 77 Meticais no Botswana, 90 Meticais no Malawi e cerca de 94,5 Meticais na África do Sul.

Citada pelo Notícias ao Minuto, a secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, alertou, esta semana, que as recentes sanções aplicadas à Rússia, no âmbito da guerra na Ucrânia, podem fazer disparar o preço do petróleo em todo o mundo, o que penalizaria os EUA e os seus aliados.

Entre as novas sanções, estão medidas contra as importações de petróleo e gás russo em algum momento, como forma de pressionar Moscovo a interromper a invasão da Ucrânia.

Segundo o Notícias ao Minuto, a cotação do barril de petróleo Brent para entrega em Junho terminou hoje no mercado de futuros de Londres em baixa de 5,17%, para os 101,09 dólares.

 

PREÇOS DA GASOLINA NA REGIÃO (VALORES EM METICAIS)

Nigéria – 26.172

Angola – 22.97

Swazilândia – 71.059

Botswana – 77.190

Moçambique – 77.39

Tanzânia – 78.494

Malawi – 90.586

África do Sul – 94.513

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos