O País – A verdade como notícia

Pescadores em Inhambane queixam-se do longo período de veda no mar

Com o pescado cada vez mais escasso, as autoridades de pesca viram-se obrigadas a estender o período de três para cinco meses, como forma de proteger as espécies marinhas e garantir a reprodução.

Antes a veda de pesca vigorava de Janeiro a Março, para espécies como caranguejo, camarão e pesca com rede de malhar de peixe. Sucede que por decisão daquele ministério das pescas, festa vez veda iniciou em Novembro do ano passado e estendeu-se até 31 de Março.

A decisão não agradou os pescadores que dizem não ter outra fonte de renda. É que durante este período, grandes parte dos pescadores em Govuro por exemplo, não podem ir ao mar e consequentemente não tem como se sustentar, alegadamente porque só vivem da pesca.

Aliás, os pescadores sugeriram ao Vice-Ministro das Pescas que a veda fosse apenas nos meses de Junho e Julho. É que por ser época de frio, sai pouco peixe do mar e para eles, esse devia ser o período de introdução da pesca.

O Vice-Ministro das Pescas Henriques Bonjesse, reconhece que é difícil, mas diz que a medida é necessária. O governante explica que a decisão de estender o período de é justamente para o benefício do pescador, uma vez que antes, saia peixe pequeno do mar, mas devido a extensão do período de veda, já é possível ter peixe em quantidade e qualidade.

Os pescadores apresentaram as inquietações num encontro entre estes e o titular da pasta, no distrito de Govuro.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos