O País – A verdade como notícia

Peregrinação ao “Caldeirão” à vista

Fotos: O País

Ferroviário da Beira e Associação Black Bulls protagonizam, domingo, às 15h00, no “Caldeirão” do Chiveve, o jogo de cartaz da 2ª jornada do Moçambola-2022. É um duelo, por ordem, entre o vice-campeão e o campeão nacional. É uma partida que nunca será qualquer, pelo que vai acontecer, domingo, no Chiveve.

Haverá, certamente, uma peregrinação domingo ao “Caldeirão” do Chiveve, palco do jogo “must” da jornada dois do campeonato nacional. E o início pode ser semelhante ao final da última época, com “touros” e “locomotivas” do Chiveve a reivindicarem o estatuto de seríssimos candidatos ao título. Mais: romperem com o ciclo ganhador dos chamados grandes e históricos do futebol moçambicano.

Um arranque em falso, com derrota caseira diante da União Desportiva do Songo, não deixou nem tão pouco Inácio Soares na condição de pessoa mais tranquila do mundo. Aliás, iniciar a defesa do título de campeão nacional com vitória é sempre motivador para um grupo que será alvo a “abater” até pela excelente campanha que fez ano passado.

É nesta senda que a Associação Black Bulls se desloca ao sempre difícil “Caldeirão” do Chiveve para procurar conquistar, domingo, os primeiros pontos no campeonato. Derreter a estrutura defensiva contrária, defender de forma compacta, recuperar a bola rapidamente e colocar o adversário em dificuldades, tudo isso é fundamental.

O ataque, agora sem as referências Cadre e o “matador” Ejaita, terá que ser mais acutilante e produtivo para desmontar a defensiva do Ferroviário da Beira.

Uma estreia auspiciosa, com uma motivadora vitória no Estádio da Machava, dá asas ao conjunto de Wedson Nyirenda para sonhar com voos mais altos. A jogar em casa, adivinha-se, o renovado Ferroviário da Beira vai assumir as rédeas do jogo. Fazer pressão alta, ou melhor, na primeira zona de construção do adversário e provocar crise nas saídas. Dar largas à imaginação nas alas, em que se destaca o criativo Gervásio, imprimir velocidade e ter musculatura no miolo do terreno. Com muitas oportunidades desperdiçadas diante do Ferroviário de Maputo, Wedson Nyirenda deve ter “puxado” orelha aos homens mais adiantados no terreno para finalizarem.

Líder da prova, a Liga Desportiva de Maputo tenta manter-se ligada às vitórias quando se bater com o Costa do Sol.

Dário Monteiro foi mais astuto que a “velha raposa” Nacir Armando na estreia, agora trava argumentos com outro (re)conhecido treinador do futebol moçambicano: Artur José Semedo. Duelo entre duas escolas diferentes, duelo entre dois conjuntos com ambições distintas. De um lado, o clube mais ganhador do futebol moçambicano a tentar resgatar a sua mística e identidade com Artur Semedo no leme. Do outro, uma menos pressionada Liga Desportiva de Maputo que desinvestiu nos últimos anos na contratação de jogadores. Um jogo a ser seguido com atenção! O Estádio 25 de Junho, em Nampula, irá também focalizar as atenções desta jornada. É que temos um duelo entre duas “locomotivas” que marcharam para a vitória na estreia. O reforçado Ferroviário de Nampula, de Nelson Santos, quer ter um início diferente da temporada passada, na qual acumulou desaires que resultaram na demissão de Chaquir Bemat.  “Att” Nelson Santos: mesmo sem o seu treinador principal, Antoninho Muchanga, que se encontra numa acção de formação de treinadores na capital, o Ferroviário de Lichinga mostrou ter força. Muita força.

É uma equipa compenetrada que quer repetir ou até fazer melhor que ano passado quando fechou a prova na 4ª posição, à frente dos históricos Ferroviário de Maputo e Costa do Sol.

Cá por baixo, o Incomáti tem pela frente um Ferroviário de Maputo que é obrigado a conquistar os três pontos na peregrinação ao “Canavial” e mostrar que a derrota diante do homónimo da Beira faz parte do passado. Aos “locomotivas” da capital, recomenda-se uma exibição mais segura, com melhor interpretação dos processos de jogo e mais fluidez quando constrói.

Defensivamente, há também que mostrar melhorias, porque os erros cometidos pelos “locomotivas” da capital na estreia foram fatais.

Artur Comboio não tem uma estrutura musculada, nem tem seguramente estrelas cintilantes e tranquilidade suficiente para manter o equilíbrio, mas tem seguramente na manga trunfos para contrariar os seus adversários. Vencer seria importante para um conjunto já de si abalado pela crise que atravessa e precisa de ter foco, e apenas foco mesmo, no desenrolar dos jogos.

Foi goleado em Hanhane, Matola. Precisa de arregaçar as mangas, vestir o fato-macaco e jogar de peito aberto diante do seu público. Num campeonato mais curto, cada ponto conta. E Nacir Armando tem noção disso, pelo que vai fazer de tudo para derrotar o Ferroviário de Nacala. Mandar em casa, assegurar a segunda vitória consecutiva e manter o grupo focado na luta pelo título são objectivos da União Desportiva do Songo na recepção à Associação Desportiva de Vilankulo. Em sentido contrário, Eurico da Conceição vai ao Songo para travar um conjunto com as contas do título na mira.

 

Moçambola 2022

1ª jornada

Black Bulls 0-1 UD Songo

Fer. Maputo  1-2 Fer. Beira

AD Vilankulo 0-1 Costa do Sol

Fer. Lichinga 1-0 Incomáti

Liga Desportiva 3-0 Matchedje Mocuba

Fer. Nacala 0-1 Fer. Nampula

2ª jornada

Incomáti vs Fer. Maputo

Fer. Nampula vs  Fer. Lichinga

Matchedje Mocuba vs Fer. Nacala

Costa do Sol vs Liga Desportiva*

UD Songo vs AD Vilankulo

Fer. Beira vs Black Bulls

*Jogo com transmissão na Stv

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos