O País – A verdade como notícia

Pela quinta vez…CMCM falha entrega do mercado de frango e magumba

Foto: O País

Mais uma vez, falhou a entrega do mercado de peixe magumba e frango, na cidade de Maputo, prevista para 30 de Agosto passado. A edilidade “não se cansa” e faz mais uma promessa, desta vez para finais deste mês.

Esta é a quinta vez em que falha a entrega do mercado na cidade de Maputo, a primeira, fracassada, foi em Dezembro do ano passado, a segunda em Fevereiro deste ano, a terceira em Maio, depois Junho e a última, também não concretizada, foi há pouco tempo, a 30 de Agosto.

Os vários adiamentos já foram motivos de contestação por parte dos vendedores, que falam de dias de incertezas.

Desta vez, o vereador para a área do Desenvolvimento da Economia Local do Município de Maputo, Danúbio Lado, justificou que ” tivemos o registo de uma certa lentidão nas obras por parte do empreiteiro”, avançou, para em seguida descrever que, para reverter o problema, houve necessidade de aumentar o número de efectivo.

Segundo o representante, antes a obra contava com cerca de 25 trabalhadores e agora o número passou para 50.

“Os trabalhos estão a correr a um ritmo bastante acelerado para que possamos fazer a entrega do mercado. Temos equipas a trabalhar a todo ritmo. Sucede que temos muitas obras a decorrer em simultâneo, para além da finalização dos contentores, temos a construção de infra-estruturas básicas, como colocação de pavês e a questão do saneamento”, detalhou.

Lado reconheceu que, mais uma vez, houve atrasos e voltou a acalmar os vendedores, tendo garantido que, até finais deste mês, o mercado poderá ser inaugurado.

“A partir do dia 20 de Setembro em diante, teremos os trabalhos concluídos. Iremos passar para a fase de indução, que será logo após a entrega dos contentores, após essa fase, faremos uma formação aos vendedores de como usar os contentores e, depois disso, é que entrará em funcionamento o mercado, tudo isto ainda este mês”, prometeu.

Entretanto, enquanto não chega a data, neste momento decorre, no local, o barramento dos contentores, a pintura, a montagem de lavatórios, captação dos solos, pavimentação e montagem de caixas para o saneamento.

Esta quinta-feira, os membros da Assembleia Municipal estiveram no local, para aferir o nível de execução de obras.

Segundo o presidente da Primeira Comissão da Assembleia Municipal, Fernando Sumbane, apesar do atraso, a intenção, neste momento, é garantir a qualidade do trabalho.

“Do que discutimos, compreendemos que terá havido um atraso, sim. Mas, agora, os trabalhos decorrem a todo vapor, no sentido de garantir que o projecto seja concluído num curto espaço de tempo, mas é preciso termos em atenção a qualidade do produto final, pois correr não é chegar.”

Sumbane ressaltou que o atraso foi necessário, para garantir que “os vendedores tenham um bom local para fazer os seus trabalhos, e os clientes tenham um bom local para efectuar as suas compras”, e adiantou dizendo que acredita que, além de o mercado dar uma nova imagem à cidade, irá dar dignidade às pessoas que, naquele local, passarão a trabalhar.

São, ao todo, 36 contentores que serão montados, mas, até agora, apenas 10 estão concluídos e a realidade mostra que há ainda muito trabalho por ser feito.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos