O País – A verdade como notícia

País vai reforçar fiscalização nas fronteiras para fazer face à nova variante da COVID-19

Foto: O País

Face ao alerta da nova variante da COVID-19, o Ministro da Saúde, Armindo Tiago, disse que neste momento o país está em alerta máximo, uma vez que a nova cepa foi detectada num país vizinho.

Apesar da descoberta da variante não ser de todo uma novidade para os especialistas que sabem que o vírus precisa criar novas variantes para sobreviver, o Ministro da Saúde garantiu que o Governo já se organiza para lidar com o vírus e sobreviver a mais essa variante.

O reforço da fiscalização das fronteiras, com a obrigatoriedade de testagem da doença, é uma das principais medidas.

“Aperfeiçoar o controlo a nível das fronteiras, aí teremos que garantir que começamos a fazer testagem obrigatória a todos aqueles que não tiverem teste, essas medidas já estão ser preparadas pelo Ministério da Saúde e a partir das próximas semanas, mesmo sem termos aumento do número de casos iremos tomar essas medidas”, Armindo Tiago.

As fronteiras com maior movimento migratório, como a de Ressano Garcia, que prevê-se o aumento da entrada de cidadãos no país, nas próximas semanas por conta da quadra festiva, serão as mais vigiadas. “Maior movimento, maior número de brigadas de testagem”, sublinhou.

E porque as vacinas são ainda uma das formas de fazer frente à doença, o Governo pretende acelerar a capacidade de vacinação dos moçambicanos. Segundo Tiago, neste momento a terceira dose, que alguns países já começaram a administrar, não é prioridade do Governo. ” Primeiro devemos garantir que toda população-alvo esteja vacinada, depois iremos avançar para a vacina de reforço, que também é para certos grupos, como por exemplo os profissionais de saúde e os idosos”, explicou.

 

PAÍS RECEBE 450 MIL DOSES DE VACINA

E porque as vacinas são ainda uma das formas de evitar a gravidade da doença, o país recebeu, esta sexta-feira pelas mãos da Vice-ministra da Saúde, Lídia Cardoso, 450 mil doses da AstraZeneca, doadas pela Argentina.

“O acto que testemunhamos traduzir-se-á na imunização de cada vez maior dos moçambicanos, criando o plano de imunidade comunitária, quando o cenário, a nível da Europa, África Central e, mais recentemente, em países vizinhos como Botswana e África do Sul coloca Moçambique em Estado de Alerta fase a uma eventual quarta vaga”, alertou Lídia Cardoso.

Mas esta, não é a única ajuda que a Argentina está disposta a dar a Moçambique na gestão e combate à pandemia da COVID-19.

“Para além desta doação de vacinas, a Argentina ofereceu a Moçambique, a possibilidade de trabalhar, conjuntamente, na assessoria técnica e intercâmbio solidário da experiência na questão da COVID-19, através da nossa comissão de capacetes brancos”, revelou Andrés Ventafridda, encarregado de Negócios na Embaixada da Argentina em Moçambique.

Dados de até esta sexta-feira indicam que mais de três milhões de pessoas foram, completamente, vacinadas contra o novo Coronavírus no país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos