O País – A verdade como notícia

PAIGC conquista maioria absoluta na Guiné-Bissau

As eleições de 10 de Março, na Guiné-Bissau, resultaram na vitória do Partido Africano para Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAIGC).

Este partido conseguiu conquistar 46.1% dos votos, o que significa 47 assentos parlamentares dos 102 existentes.

E contando com acordos celebrados com os outros partidos parlamentares, PAIGC garante uma maioria absoluta para governar.

Em segundo e terceiro lugar ficaram o Madem G15 e o partido da renovação eleitoral.

Com estas eleições legislativas fortemente aplaudidas pelos observadores internacionais, espera-se que a crise política que dura há quatro anos chegue ao fim na Guiné-Bissau.

Recorde-se que o presidente José Mário Vaz demitiu o governo do líder do PAIGC que dispunha de uma maioria absoluta. Em substituição, nomeou um governo que não tinha apoio parlamentar. Em conferência de imprensa, realizada depois de o partido mais votado – Partido Africano para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAIGC) – ter dito que respeitava os resultados provisórios que lhe davam uma maioria parlamentar, dois dirigentes do Madem apelaram à calma entre os seus apoiantes e prometeram reagir, mas só após a resposta da Comissão Nacional de Eleições (CNE) às reclamações feitas.

O director da campanha eleitoral, Marciano Barbeiro, disse aos jornalistas que o Madem espera que a CNE “seja competente” para apreciar de “forma serena e tranquila” os elementos apresentados pelo movimento que, no seu entender, irão provar que os resultados eleitorais que lhe foram atribuídos “não são aqueles que, de facto, alcançou” nas urnas.

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos