O País – A verdade como notícia

Outra vez Costa do Sol vs Ferroviário!

Foto: O Pais

Ferroviário de Maputo vs Costa do Sol (17h00) e Desportivo Maputo vs Ferroviário da Beira (14h30) são os jogos das meias-finais do Torneio de Apuramento às eliminatórias da Liga Africana de Basquetebol (BAL). Os embates estão agendados para quarta-feira no pavilhão do Maxaquene.

“Caixinha de fósforos”, ou melhor, pavilhão dos Desportos da Beira. Milagre “Mila” Macome, então treinador do Costa do Sol, procurava levar os “canarinhos” ao primeiro título de campeão, mesmo com uma equipa considerada “outsider”. Miguel Guambe, “coach” da galáctica equipa da Académica, tinha claramente a obrigação de conquistar o título. Ganhou o Costa do Sol, que condicionou os “estudantes”, para a surpresa de muitos! Este foi um dos mais importantíssimos e inesquecíveis duelos decisivos entre Milagre Macome e Miguel Guambe entanto que adversários.

É verdade que travaram tantos outros despiques, tais como as finais da Liga Moçambicana de Basquetebol, em 2019, e Engen Maputo Basket, em 2018, mas há 21 anos a adrenalina era outra!  Vem este introito a propósito destes voltarem a disputar um jogo decisivo nas contas da luta pelo acesso à única vaga de acesso às eliminatórias da Liga Basketball Africa League.

Esta quarta-feira, no pavilhão do Maxaquene, é vencer ou vencer. Primeiro e digno representante moçambicano na edição de estreia da Liga Africana de Basquetebol, havida na monstruosa Arena de Kigali, Ruanda, Ferroviário de Maputo persegue o sonho de voltar a marcar presença na agora considerada melhor prova continental da modalidade da bola ao cesto!

Não iniciaram bem, diga-se, a corrida à BAL porquanto perderam com o Costa do Sol por 87-75, mas não perderam foco! Os “locomotivas” têm mesmo que se apresentar, neste jogo decisivo, mais agressivos a defender, condicionando o seu adversário. Mais: esclarecidos ofensivamente, fazendo melhor interpretação do dispositivo defensivo do Costa do Sol que optou por uma zona pressing quer na primeira jornada do Torneio de Apuramento à Bal quer na final do “Nutrição”.

Há que, na posição 1, apostar num jogador mais sereno, lúcido e capacidade de acelerar e pausar o jogo quando necessário. De resto, foi notórias as limitações nesta posição no duelo com o Costa do Sol, tendo em algumas ocasiões sido Hugo Martins a transportar a bola. Não sendo propiamente um base de raíz, Demarcus Holland pode ser fundamental na zona dos 6, 75 metros!

O jogo exterior, onde Alvaro Masa não esteve nos seus melhores dias, pode igualmente ser uma arma para melhor interpretação da zona 2-3. Caso, evidentemente, seja esta a aposta dos “canarinhos”.

Na tabela, Adejhi Baru pode ser a figura determinante no jogo interior assim como para desgastar os seus adversários. Mas lá está: somente dois jogadores estrangeiros podem ser inscritos na ficha de jogo!

Há um investimento, há um historial de confrontos este ano que dão vantagem ao Costa do Sol. Sim, até porque os “canarinhos” venceram na segunda volta da fase regular do Torneio Nutrição (94-77) e final da mesma competição (82-67).

Os “canarinhos” condicionaram o seu adversário com zona pressing que culmina com 2-3, assim como estiveram muito fortes no jogo exterior com destaque para Ivan Machava e Francisco “Tchesco” Braga que se evidenciaram na zona dos 6, 75 metros!

O Costa do Sol soube, e bem, fazer melhor leitura quer da defesa à zona 2-3 montada pelos “locomotivas”. Na tabela, dominaram e ganharam as segundas bolas!

Este não é o primeiro duelo das meias-finais de uma prova local entre estas duas formações!  Em 2017, Ferroviário de Maputo e Costa do Sol defrontaram-se nas meias-finais da Liga Moçambicana de Basquetebol Mozal.

Num “play-off” a melhor de 3 jogos, os “locomotivas” da capital fizeram o 2-0 com vitórias por 99-56 (jogo 1) e 93-60 (jogo 2). Dominador, o Ferroviário de Maputo fugiu no marcador e não permitiu que o seu adversário fosse buscar o resultado.

A história voltou a repetir-se em 2018, numa prova disputada entre as cidades de Maputo e Beira. Mais uma vez, Milagre “Mila” Macome superiorizou-se a Miguel Guambe com um 2-0 na série dos “play-offs”.

A 14 de Agosto, o Ferroviário de Maputo venceu por sete pontos: 79-72. O jogo 2 teve melhor pontuação, com o marcador a indicar 101-88 a favor dos bicampeões nacionais de basquetebol.

Recuando três anos, ou seja, em 2014, e na altura ainda treinado por Milagre Macome (ndr: trocou o Costa do Sol pelo Ferroviário de Maputo em 2016), o Costa do Sol caiu nas meias-finais da Liga Moçambicana de Basquetebol justamente aos pés do Ferroviário. Vitórias por 71-66 (jogo 1) e 81-72 (jogo 2) garantiram o passaporte à final por parte do clube que mais nacionais conquistou nos últimos quatro anos: Ferroviário de Maputo.

 

DESPORTIVO VS FERROVIÁRIO A BEIRA

Não há vencedores antecipados, facto! Mas é inegável que o Ferroviário da Beira, ou melhor, o seu plantel é de longe mais valoroso que o do Desportivo Maputo. É sim: os William Perry e Michael Murray (28 pontos no jogo com o Costa do Sol) emprestam qualidade às posições 1 e 2, para além de serem jogadores que atiram bem. Defensivamente, o Ferroviário da Beira ganha com Elves “Stam” Honwana, Orlando e Ermelindo Novela, jogadores muito fortes neste quesito!

Ao nível do tiro exterior, nas penetrações e tiros curtos, Ismael “Timo” Nurmamad, quando inspirado, desequilibra!  Elton Ubisse faz a diferença na zona restrita, desgastando os seus adversários, ganhando a luta pelos ressaltos e também com boa percentagem de tiros curtos!   No duelo com o Costa do Sol, arrancou um duplo-duplo: 16 pontos e 10 ressaltos (dos quais 3 ofensivos e 7 defensivos). A equipa tem soluções por demais quando comparado ao Desportivo Maputo.

2014 reservou-nos, no pavilhão do Maxaquene,  um duelo nas meias-finais entre o Ferroviário da Beira e Desportivo Maputo, com os “locomotivas” da Beira a condicionarem o seu adversário e qualificarem-se para a final.

Em 2016, um ano depois de ter conquistado o título de campeão nacional, o Desportivo Maputo bateu-se com o Ferroviário da Beira nas meias-finais da Liga Moçambicana de Basquetebol.

Melhor estruturados, os “locomotivas”, então orientados pelo “coach” Nasir “Nelito” Salé venceram o “play-off” das meias-finais por 2-0.

No primeiro jogo, realizado a 3 de Agosto, o Ferroviário da Beira venceu por 24 pontos: 94-70. Um dia depois, nova vitória dos “locomotivas” desta feita por 13 pontos: 87-74.

Seguia, desta forma, o conjunto de Nelito para a final da Liga Moçambicana de Basquetebol perdida para o Ferroviário de Maputo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos