O País – A verdade como notícia

Os nossos cinco “magníficos” em Rabat já no país

Os cinco atletas moçambicanos que conquistaram medalhas na 12ª edição dos jogos africanos realizados em Rabat, Marrocos, e a respetiva delegação nacional, estão em solo pátrio desde a tarde de hoje. 

Chegaram de forma faseada ao país, uns pela manhã, outros pela tarde e o último grupo da delegação de Moçambique que fez parte da 12ª edição dos jogos africanos realizados em Rabat, Marrocos, chegou as 20 horas de ontem.

A parte da delegação que chegou por volta das 15 horas, foi recebida com honrarias que só se comparam com as de um presidente: em apoteose. Houve canto, houve dança, e por conseguinte, houve muita alegria no terminal internacional do Aeroporto Internacional de Maputo.

Aterraram naquele voo, as medalhas de bronze, Radi Gramani e Alcinda Panguane, acompanhadas por pugilistas como Juliano Maquina e o atleta de natação Alam Bique, que apesar do esforço não conquistaram medalhas.

Na categoria 75 kilos, Radi Gramani podia ter conseguido a façanha de conquistar a medalha de ouro mas, pasme-se, faltou altura ela entende. “A minha adversaria era mais alta do que eu e isso dava-lhe uma grande vantagem” lamenta.

Nada que afete a moral da medalha de bronze, Radi Gramane, uma vez que a atleta esta feliz com o facto de representar o país. “Estou feliz e orgulhosa de representar o meu país” disse.

Alcinda Panguane, outra menina de prata (pelo menos por enquanto), esta igualmente feliz com a posição alcançada em Rabat, mas, ela adverte, em 2020, em Tóquio, as coisas deverão ser diferentes.

“Não há tempo a perder, temos que trabalhar muito mais do que fizemos (para os jogos africanos de Rabat 2019), para que possamos sonhar muito alto nos jogos olímpicos a ter lugar em Tóquio, e chegar a primeira posição”.

Moçambique participou com uma delegação de vinte atletas em sete das vinte e nove modalidades eleitas para o evento, dezassete das quais classificaram-se directamente para os Jogos Olímpicos.

O país chegou ao pódio na barragem Mohammed Ben Abbelah ao arrecadar cinco medalhas, sendo uma de Ouro, três de Prata e uma de Bronze nas modalidades de voleibol, Boxe e Canoagem.

O Egipto conquistou pela sétima vez os jogos, com um total de duzentas e setenta medalhas, das quais cento e uma de Ouro, noventa e sete de Prata e setenta e duas de Bronze.

Na segunda posição ficou a Nigéria, com cento e vinte e seis medalhas e a áfrica do Sul ocupou a terceira posição, com oitenta e sete medalhas.

Na competição entre os falantes da língua portuguesa, Angola obteve a melhor posição, em décimo sexto lugar, com oito medalhas ao todo, sendo duas de Ouro, duas de Prata e quatro de Bronze.

 

 

DESTAQUE FRASICO

“A minha adversaria era mais alta do que eu e isso dava-lhe uma grande vantagem”

 

 

  

 

 

 

 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos