O País – A verdade como notícia

Os nossos 16 anos

28 de Maio 2005 é um dia ímpar. Um dia sem comparação, que o futuro não ousará repetir. Ainda que tentasse, a magia da criação do jornal O País tem aroma único e a fórmula perdeu-se na imensidão das partículas do tempo. No presente, só nos é permitida a viagem pelos anos passados e, em todas as estações, escalpelar as emoções euforicamente vividas, por quem produziu e por quem consumiu este produto.

São 16 anos que hoje celebramos, 16 anos de um produto que, de forma indelével, escreve nos anais da história do país, uma parte significativa da história de Moçambique no contexto da democracia multipartidária. Aqui, orgulha-nos saber que contribuímos para a edificação deste pilar, que ainda procura solidez na esfera pública.

Rasgando memórias e perscrutando as milésimas páginas de história produzidas e publicadas, regozijamo-nos por saber o quão importante fomos ao informar e contribuir, com matéria-prima, a essência do pensamento crítico, elemento fulcral para dialética que gera o desenvolvimento. Tudo fizemos num claro compromisso com a verdade, com rigor e com responsabilidade.

Hoje, vivemos novos tempos, nos quais mudar ou se adaptar é condição sine quo non de sobrevivência. A estas imperiosidades, respondemos com tranquilidade, como resultado da resiliência que as turbulências nos proporcionaram. Eram muitos os cépticos que auguravam o nosso fracasso quando, há 16 anos, surgimos, mas vincamos. O golpe da penhora também ressuscitou o prognóstico de falência, porém ultrapassamos. Na passagem para o diário, chamaram-nos de aventureiros que entravam na mata densa sem protecção, contudo desbravámos e criámos caminhos. Na migração para a publicação digital, os amantes do papel resistiram, mas já se adaptaram. Portanto, tudo isto e muito mais foi injecção de força que se transformou em tranquilidade para lidar com adversidades.

Mais um ano passou e, uma vez mais, celebramos o nosso aniversário no meio da pandemia da COVID-19, que neste intervalo infectou mais de 70 mil pessoas, das quais 834 vítimas mortais. Apesar da significativa redução de casos activos, agora a volta dos 600, continuamos em sentido de alerta e, por isso, precisamos de ter atitudes comedidas. Na media, a pandemia também arrasou, mas também elevou a nossa importância, enquanto canal disseminador de informação. Temos, pois, orgulho do papel que temos neste capítulo.

Ao celebrar os 16 anos, juntam-se a nós distintas personalidades para expressar o seu olhar sobre o nosso jornal e o país. A estas e a todos que, nestes 16 anos de existência, dialogam com os textos d´O País, os nossos agradecimentos pela confiança. Tudo faremos para continuarmos a merecer o vosso apreço.

Com o sentido de acção activo, continuaremos a trabalhar em prol da vossa satisfação para somar histórias na vossa companhia. Bem haja, O País!

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos