O País – A verdade como notícia

Onze estradas e uma ponte intransitáveis no sul e centro do país

O distrito de Phafuri, em Gaza, está isolado. As chuvas provocaram danos nas vias que dão acesso ao distrito. Em todo o país, há 11 estradas e uma ponte intransitáveis nas províncias de Maputo, Gaza e Tete.

Nos últimos anos o país investiu em estradas resilientes, barragens e mecanismos que garantam melhor gestão da água, contudo, no terreno vê-se mais do mesmo, sempre que chega a época chuvosa.

A resiliência do país foi, mais uma vez, testada e as fragilidades voltaram a falar mais alto, perde-se para a natureza. Os números justificam a afirmação. Onze estradas e uma ponte ficaram intransitáveis no sul e centro do país, concretamente em Maputo, Gaza e Tete devido às enchentes em vários rios. Quem lança o alerta é a Administração Nacional de Estradas, ANE, IP.

 

GAZA É O CASO MAIS GRAVE

Tem um distrito sitiado, Phafuri, e cinco vias intransitáveis: Estrada R455, entre Chicualacuala e Phafuri, Estrada N222, de Mapai para Phafuri; Estrada NC, que liga Majangue e Punguine, Estrada NC, que sai de Chate para Maloulane; e Estrada NC, de Mabalane a Nhatimamba.

Em Gaza só existe vias alternativas para quem sai de Majangue para Punguine e de Chate para Maloulane, a Estrada Papeline.

Nesta província é comum ter estradas com problemas de transitabilidade e Phafuri isolado. No ano passado, por exemplo, as estradas N222 (Mapa/Pafuri), R441 (Dindiza/Zinhane) e R455 (Chicualacuala/Pafuri) estiveram intransitáveis, pelo facto de terem estado submersas devido à subida do caudal do rio Limpopo.

 

A PROVÍNCIA DE MAPUTO É A SEGUNDA MAIS PREJUDICADA PELAS CHUVAS

Estão intrafegáveis a Estrada R406, entre Catuane e Filipe, Estrada R413, de Maragra até Calanga, Estrada R414, de Mahubo, e a Ponte do Rio Umbeluzi.

Para esta zona, via alternativa só há para a R406, entre Catuane e Filipe, a estrada Bela Vista-Porto Henrique – Catuane.

 

TETE, NO CENTRO DO PAÍS, TEM TRÊS VIAS INTRANSITÁVEIS

Estrada N300, de Nhamayabue a Vila Nova da Fronteira (Mutarara), Estrada N322, que parte de Dzimira até Puite (Mutarara) e Estrada R602, de Mágoè até Mucumbura.

Não há via alternativa para nenhuma das estradas intransitáveis em Tete.

A Administração Nacional de Estradas diz que todos os esforços estão a ser envidados para a reposição da transitabilidade na rede nacional de estradas.

Entretanto, a situação pode piorar, pois há sete rios inundados e que podem transbordar a qualquer momento: rio Maputo, Incomáti, Umbeluzi, Púnguè, Zambeze, Limpopo e Ligonha.

Aliás, outras zonas do país podem entrar para a lista da ANE. O instituto Nacional de Meteorologia prevê a ocorrência de chuvas muito fortes com mais de 75 milímetros em 24 horas, acompanhadas de trovoadas e ventos com rajadas, nas províncias de Niassa, Nampula, Zambézia e Tete. O aviso foi feito esta quarta-feira.

O alerta sobre chuvas fortes e trovoadas nas quatro regiões do país é válido até 24 horas desta quinta-feira, de acordo com o comunicado do Instituto Nacional de Meteorologia.

As zonas a serem abrangidas são: Província de Niassa principalmente nos distritos de Mecanhelas,Cuamba, Metarica, Madimba, Maúa, Ngauma, Majune, Chibonila, Muembe, Sanga, Lago e Cidade de Lichinga. Em Nampula, distrito de Moma, Larde, Angoche, Mogovolas, Murrupula, Rapale, Ribaué, Malema, Lalaua, e Cidade de Nampula.

Na Província de Zambézia, Manganja, da Costa, Mocubela, Pebane, Gilé, Mulevale, Alto Molocué, Ile, Lugela, Namarói, Molumbo e Gurué e por fim a Província de Tete, os distritos de Zumbo, Marávia, Mágoè, Chifunde, Macanga, Cahora Bassa, Angónia, Tsangano, Moatize e Cidade de Tete.

Por sua vez, a Direcção Nacional de Gestão de Recursos Hídricos prevê, para as próximas 72 horas, o incremento de volume do escoamento nas bacias do Licungo e Zambeze. E a Bacia do rio Umbeluzi poderá continuar a registar subida do nível, mantendo-se em alerta.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos