O País – A verdade como notícia

Obras de estradas atrasadas no Município de Nampula

Foto: O País

As obras de construção da segunda faixa da Avenida Eduardo Mondlane e da estrada que vai até ao Hospital Geral de Marere, em Nampula, vão atrasar em dois meses. O empreiteiro diz que encontrou problemas no terreno que obrigaram o reajuste dos prazos de entrega.

A rodovia, que sai da Estrada Nacional n°1 em direcção ao Hospital Geral de Marere, no Município de Nampula, é de capital importância, uma vez que permite o acesso aos bairros do posto administrativo de Natikiri (um dos mais populosos), para além de passar pelo campus da Universidade Lúrio.

Em Março deste ano, a edilidade lançou as obras para a asfaltagem que devia terminar em Agosto corrente, mas, pelo que se percebe no terreno, ainda há muito trabalho por se fazer, sendo que a conclusão só será em Novembro, tal como o jornal “O País” soube junto do director técnico do Zac Construções, que está a cargo das obras, Neves José Vicente.

“Tivemos problemas técnicos como tubos de água, porque, como se sabe, Marere é uma via que liga o Hospital Geral e tem tubos de água que vão até lá, então fomos alterando ao longo do processo e fomos trabalhando com o FIPAG, porque alguns tubos estavam no perfil da estrada; fomos removendo alguns e isso acabou por ditar o atraso das obras.”

A mesma empresa foi-lhe adjudicada a obra de construção da segunda faixa de rodagem da Avenida Eduardo Mondlane e a entrega estava prevista para Setembro próximo, mas, naquela empreitada diz que precisa também de mais dois meses de trabalho, ou seja, até Novembro.

“O trabalho está a andar, mas há alguns aspectos técnicos que fomos encontrando no terreno como é o caso do lençol freático. Se forem ver, há alguns poços que fizemos com a máquina [retroescavadora], porque necessita de um tratamento [específico] e já estamos a fazer o trabalho.”

No traçado da segunda faixa da Avenida Eduardo Mondlane, estão cinco casas por serem removidas para dar lugar às obras, trabalho que é da responsabilidade do Município.

Nas duas frentes de trabalho, são dois quilómetros, com um custo que soma pouco mais de 57 milhões de meticais dos cofres do Município.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos