O País – A verdade como notícia

Obesidade é um problema de saúde pública em Moçambique

O excesso de peso, dificuldades ao respirar, baixa qualidade do sono, entre outros, são os principais sinais da obesidade, avançados pela nutricionista Orlanda Dias, durante o espaço de debate do “Manhã Informativa” desta sexta-feira.

A especialista explicou que a obesidade em Moçambique é como uma pandemia, pois é um problema de saúde pública, devido à tendência de crescimento do número de indivíduos diagnosticados com a doença no país.

Através de uma fórmula de cálculo de índice da massa corporal, estimado a partir do peso do indivíduo, dividido por altura ao quadrado, pode-se determinar se o indivíduo é ou não obeso e o tipo de obesidade que apresenta.

“Existem várias classificações para se poder determinar a obesidade, dentre as quais a partir do tipo: obesidade homogénea, em que o indivíduo apresenta características de excesso de peso em todo o corpo, obesidade genecoide na qual o indivíduo ganha uma forma corporal igual a uma maçã e a obesidade android, mais frequente em mulheres, que afecta mais nas ancas, apresentando um formato de pera”, explicou a especialista.

A nutricionista apontou haver uma tendência de obesidade em crianças, devido ao estilo alimentar a que muitas são submetidas. “Muitos pais apostam mais em alimentos industrializados, em detrimento dos orgânicos, que são mais saudáveis. Estes hábitos alimentares acabam por desencadear a obesidade infantil”, explicou.

Sobre as causas, Orlanda Dias afirma que as correrias do dia-a-dia das famílias têm influenciado muito no estilo de vida que estas levam, principalmente no quesito alimentar. Comidas industrializadas, o consumo excessivo do álcool, a falta de prática de exercícios físicos e o tabagismo têm estado na dianteira das causas da obesidade.

Entretanto, “há que destacar a questão genética, um histórico familiar de obesidade, que é, por si, um alerta para a adopção de hábitos alimentares saudáveis para evitar contrair a obesidade. Podemos destacar, também, algumas medicações, alguns contraceptivos, por exemplo, que podem influenciar o desencadeamento da obesidade, o factor estresse, entre outros” disse Orlanda Dias.

“A obesidade aumenta o risco de desenvolver doenças mais graves e fatais, como a hipertensão, doenças cardiovasculares e até mesmo cancros. Podemos ainda contrair colesterol elevado, dificuldades respiratórias e dificuldades em realizar actividades físicas”.

Para evitar o risco de desenvolvimento da obesidade, segundo Dias, é preciso que se adopte um estilo de vida saudável, composto por alimentos ricos em nutrientes, energia e minerais, de forma equilibrada e, acima de tudo, consumir sem restrições os vegetais e legumes, sem colocar de lado a prática de exercícios físicos de forma constante.

A nutricionista aconselha todos que estejam acima do peso que se aproximem às unidades sanitárias por forma a terem o diagnóstico e, assim, iniciar o tratamento de acordo com o tipo de obesidade que apresentam.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos