O País – A verdade como notícia

Nyusi reúne-se com Xi Jinping na China

O Presidente Filipe Nyusi esteve reunido com o presidente chinês, Xi Jinping, a quem garantiu exercer um papel activo no sucesso da iniciativa Uma Faixa, uma Rota cujo Fórum teve início esta quinta-feira. Nyusi reiterou o seu interesse em trocar experiência sobre governação com a China e mais países asiáticos.

Por sua vez, o presidente chinês, destacou a importante posição geográfica de Moçambique, na construção da Rota de Seda Marítima. 

Uma Faixa, Uma Rota, é o denominado “Projecto do Século” da China que envolve uma malha ferroviária e autoestradas que ligarão a região oeste da China à Europa e Oceano Índico, cruzando Rússia e Ásia Central. Da parte de África, erguer-se-á uma rede de Portos para reforçar as ligações marítima com a China.

Pelo caminho, serão erguidos aeroportos, centrais eléctricas e zonas de comércio livre, redesenhando o mapa da economia mundial.

O maior entrosamento entre Pequim e os mais de cem países envolvidos abarca também o ciberespaço, meios académicos, imprensa ou comércio.

Dando os parabéns a Pequim pelo 70.º aniversário da República Popular, Nyusi agradeceu a Pequim por ter assistido o país "atempadamente" após a passagem do ciclone Idai, que deixou mais de 600 mortos e 1.5 milhão de pessoas afectadas.

Ainda na China, no caso, esta noite, Filipe Nyusi referiu-se às acções do Governo para prevenir as populações de Cabo Delgado dos estragos do ciclone Kenneth. Segundo o Presidente, as populações foram levadas a locais seguros e foram activadas medidas humanitárias de modo a salvaguardar as vidas das pessoas. Para o efeito, disse o PR, Moçambique manteve contactos com a ONU para se accionar equipas de busca e salvamento. “O Governo está, ao mesmo tempo, a coordenar apoios humanitários com vista a garantir acções de resgate, caso necessário, e posicionar meios e recursos humanos e zonas potenciais”. Prosseguiu o PR: “Igualmente, estamos a estabelecer contactos com as Nações Unidas com vista a acionar a equipa de busca e salvamento. Estamos a envidar esforços para que as equipas e meios sul-africanos, angolanos e brasileiros e PMA, que ainda se encontravam ou se encontram na cidade da Beira, possam ser mobilizados para apoiarem na situação em curso no norte”.

Segundo Nyusi, neste momento, a barragem de Chipembe está a efectuar descargas”, o que nos próximos dias pode significar maior risco para a sua bacia, com destaque para os distritos de Quissanga, Montepuez, Meluco, Ancuabe e Macomia. “Dirigimo-nos a todos os compatriotas, apelando à calma”, porque as zonas onde o ciclone Kenneth poder fazer-se sentir ainda estão debaixo da chuva, uma situação recorrente no país. Os ventos sopraram, mas sem impacto pernicioso. Devemos seguir atentamente as instruções emanadas e tomar este momento como o de mais solidariedade e de união para todos os moçambicanos”, apelou Filipe Nyusi e disse que o Governo continuará a actualizar a informação sobre o ciclone Kenneth.   

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos