O País – A verdade como notícia

Nyusi quer PRM no combate ao terrorismo e raptos

Foto: GPR

Cerca de três mil novos agentes da PRM terminaram a instrução básica. Na ocasião, o Presidente da República e Comandante em Chefe das Forças de Defesa e Segurança, Filipe Nyusi, que orientou o 41° curso de Instrução básica, disse que novos agentes devem combater o terrorismo em Cabo Delgado e o crime organizado, com destaque para os raptos.

São homens e mulheres provenientes de todo o país que encerraram, esta quarta-feira, a sua formação básica e entraram para a corporação como guardas estagiários. E abre-se assim um novo e desafiante caminho profissional para aqueles agentes que têm a missão de proteger Moçambique e os moçambicanos, disse o Presidente da República.

Filipe Nyusi, que assistiu na Escola Prática de Matalana, a demonstração de aulas práticas, acompanhou de perto as acrobacias, superação de obstáculos, defesa pessoal, prática do tiro ao alvo e no fim passou em revista a parada.

O terrorismo em Cabo Delgado dominou o discurso de Filipe Nyusi. “Tenham em mente,  que na actualidade, um dos maiores desafios como Estado, Nação e povo é o combate, sem tréguas, ao terrorismo  e as suas variadas formas de actuação”.

Ainda sobre o combate ao terrorismo na província de Cabo Delgado, perante a parada policial Nyusi destacou a necessidade de Moçambique continuar a receber apoios externos e desvaloriza a crítica face a presença de tropas estrageiras no teatro operacional norte.

“Vamos mobilizar apoios internos e externos, vamos aceitar os apoios genuinamente oferecidos aos moçambicanos.  As Forças de Defesa e Segurança vão continuar a lutar com bravura para proteger o seu povo, os seus bens e projectos económicos. Nós não vamos perder o foco”.

Nyusi disse, ainda, que não menos importante é o combate aos raptos. “Os raptos contribuem para um clima de desespero, incerteza e insegurança, afectando negativamente o ambiente de negócios e o investimento privado em Moçambique. Este tipo de crimes culmina, muitas das vezes, com a deslocação de investidores para outros horizontes e a transferência de capitais que podiam estar a circular a bem da economia nacional”.

Em Matalane, foram, também, premiados os três melhores formandos que se destacaram no meio da colectividade.

O mosaico artístico-cultural de Moçambique foi exibido e exaltado no seio dos recém formados agentes da PRM.

Os mais de três mil agentes da PRM vão reforçar o efectivo na Unidade de Protecção de Altas Individualidades, Serviço Nacional de Migração, Serviço Nacional de Salvação Pública, Direcção Nacional de Identificação Civil, entre outros sectores do Ministério do Interior.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos