O País – A verdade como notícia

Nyusi diz que Moçambique não pode ser um país estranho que está sempre em guerra

Filipe Nyusi pediu hoje aos membros e simpatizantes da Frelimo para não responderem provocações que conduzem a violência na campanha eleitoral. E por outro lado diz que é altura de pôr fim à violência armada porque Moçambique está a ficar um país estranho na região por se recorrer a armas para resolver diferenças.

Esta Quinta-feira o candidato da Frelimo trabalhou nos distritos de Mandimba, Marrupa e na cidade de Lichinga onde orientou comícios populares concorridos. A tónica do seu discurso foi contra a violência armada.

Nyusi diz que não é possível desenvolver um país que está sempre em guerra. Por outro lado apelou a contenção de ânimos durante a campanha eleitoral para evitar a violência. Mas também aproveitou para responder algumas provocações dos seus adversários nesta corrida eleitoral.

Marrupa é um distritos que fielmente tem votado da Frelimo e Nyusi quer reforçar a domínio e apontou as obras do quinquénio como exemplo de quem cumpre promessas.

Mandimba e Lichinga não votarem nele em 2014, mas as estradas, a linha férrea, os projectos de abastecimento de água, a reabilitação dos hospitais de Lichinga, Cuamba, Mandimba entre outros são a prova de que é como a chuva que chove para todos, Segundo suas palavras:
Esta sexta-feira a campanha de Nyusi em Niassa termina com um comício no distrito de Lago.
 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos