O País – A verdade como notícia

Nyusi diz que contribuição de Kaunda será “marca indelével na libertação da África Austral”

O Presidente da República, e Presidente em Exercício da SADC, Filipe Nyusi, disse, esta sexta-feira, em Lusaka, capital da Zâmbia, durante as exéquias de Kenneth David Kaunda, fundador da República da Zâmbia, que a sua contribuição como estadista e o exemplo da sua vida pessoal serão sempre marcas indeléveis na história da libertação da África Austral e da África em geral.

“O povo da África Austral está de luto. A voz do pai da Zâmbia e de um dos percursores da SADC ficou em silêncio para sempre”, disse Nyusi.

Filipe Nyusi considera Kenneth Kaunda “um homem de Estado que queria acabar com a exploração dos povos pelo colonizador e por isso, trabalhou arduamente para legitimar e apoiar os movimentos de libertação dos países que estavam ainda colonizados após a independência do seu país”.

Para Nyusi, a forma como Kaunda conduziu a independência da Zâmbia inspirou outros países a lutar pela sua liberdade, citando os exemplos do Malawi, Maurícias, entre outros, que viram nele um exemplo de libertador no qual se podiam inspirar.

O Presidente da República destacou, em particular, a contribuição de Kaunda para a independência de Moçambique, tendo apontado que foi em Lusaka onde foram assinados os acordos que conduziram à proclamação da Independência de Moçambique.

“O Presidente Kaunda devotou a sua vida para a libertação da África e por isso se ofereceu como anfitrião para que Portugal e a FRELIMO assinassem os acordos que conduziram à proclamação da Independência de Moçambique e a vitória do povo moçambicano”, disse.

Para além de Filipe Nyusi, estiveram na cerimónia, que decorreu no recinto principal de feiras de Lusaka, outros oito Chefes de Estado e de Governo africanos, nomeadamente, do Quênia, Namíbia, Gana, Zimbábue, África do Sul, Botswana, Malawi e Reino do Lesoto.

De acordo com a Presidência da República, estiveram, ainda, dignitários em representação da Tanzânia, Angola, Etiópia, Nigéria, República Democrática do Congo, Reino Unido e Sérvia, bem como a mais alta representação da Comissão da União Africana, do Secretariado da Commonwealth e do Secretariado do COMESA.

Os restos mortais de Kenneth Kaunda vão a enterrar no dia 7 de Julho, no cemitério Presidencial.

Em homenagem ao Presidente Kaunda, o dia 2 de Julho, dia das cerimónias oficiais e o dia 7 de Julho, dia em que será sepultado, foram declarados tolerância de ponto naquele país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos