O País – A verdade como notícia

Novo provedor a caminho de Maputo para reactivar sistema de transacções electrónicas

O governador do Banco de Moçambique anunciou hoje que técnicos do novo provedor poderão chegar ainda esta semana a Maputo para reactivar o sistema de transacções electrónicas, mais conhecido por SIMO. Ouvido hoje pela Assembleia da República sobre o apagão da rede SIMO, Rogério Zandamela descartou qualquer possibilidade de voltar a negociar com a BizFirst, a empresa que fornecia serviços ao SIMO. “Estamos a falar de uma empresa pequena a nível internacional, uma empresa sem expressão. Está é a empresa que nos criou este apagão”, disse, sublinhando que a Bizfirst tem Moçambique como único cliente.

Apesar de repetir que técnicos do novo provedor poderão chegar ainda esta semana, Zandamela deixou claro que não há datas para a solução do problema. “Não posso dar datas de quando o problema será solucionado. Só os técnicos que trabalham nessa matéria podem responder à essa pergunta, uma vez que estarão aqui a avaliar e ver quanto tempo será necessário para reactivar o sistema”, afirmou.

Ainda assim, o governador do Banco Central tranquilizou a sociedade ao afirmar que, apesar do apagão, o sistema financeiro continua estável e que há notas e moedas suficientes para abastecer a economia.

Durante a audição, o governador do Banco Central acusou a BizFirst de ter tentado atacar o sistema financeiro. “Quando nos apercebemos dos ataques cibernéticos da Bizfirst, pensamos rapidamente num plano de contingência. E esse plano consistia em estarmos preparados com as plataformas informáticas necessárias para que em caso de apagão, estivéssemos em condições de rapidamente introduzir os novos sistemas”, disse o governador.
 
Sobre os limites de compra, venda e levantamento de moedas estrangeiras, Zandamela disse o regulador tomou medidas para que o levantamento em divisas para viagem passasse de cinco para 10 mil dólares. Para os clientes que se encontram no estrangeiro, o governador lamentou que não há soluções imediatas.
 
“Os que estão no exterior podem fazer pagamentos via internet”, acrescentando que o Banco de Moçambique instruiu os bancos comerciais a abrirem linhas verdes para atender clientes que se encontram fora do país.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos