O País – A verdade como notícia

Novo administrador e director de câmbio do Standard Bank ainda por aprovar  

Depois da suspensão de dois dos seus quadros seniores, nomeadamente, Chukwuma Nwokocha e Carlos Madeira, e a consequente nomeação pelo Banco de Moçambique de Zaitina Chilaule, para desempenhar as funções de inspectora residente no Standard Bank, o banco está, agora, a finalizar o processo das nomeações de um novo administrador-delegado e director da Banca Corporativa e de Investimentos, a serem anunciados após a aprovação.

Entretanto, um comunicado emitido esta terça-feira pelo Standard Bank Moçambique, refere que o banco continua a realizar todas as suas operações, com excepção das de foro cambial, em toda a sua rede bancária nacional, constituída por 54 agências.

O documento reafirma que o Standard Bank está bem capitalizado e possui capacidade suficiente para administrar os riscos que podem surgir no mercado, garantindo a todos os seus clientes e parceiros a sua estabilidade e solidez financeira.

Com 127 anos de existência, o Standard Bank é a instituição financeira mais antiga do país, fazendo parte do maior grupo bancário africano, com mais de 150 anos.

O Standard Bank foi suspenso de realizar operações cambiais e de conversão de divisas por um ano, devido a infracções de natureza prudencial e cambial, tendo sido aplicada uma multa de cerca de 290 milhões de meticais e de cerca de 20,3 milhões de meticais a dois altos funcionários do banco, supostamente envolvidos nas referidas operações.

Segundo analistas financeiros, a suspensão do Standard Bank do mercado cambial moçambicano criou certos prejuízos aos particulares e empresas que recebem transferências bancárias em divisas, mesmo depois da garantia dada pela instituição, bem como pelo regulador de que os clientes não seriam afectados pela medida.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos