O País – A verdade como notícia

Nova secretária-geral do MDM promete coesão no partido

Foto: DW

Leonor Elisa Lopes de Sousa, a nova secretária-geral do MDM, é natural de Nampula e residente na mesma província. Ela é membro do MDM desde 2012 e já ocupou vários cargos no partido, com destaque para chefe do Departamento de Formação e Projectos da Liga Nacional da Mulher. Leonor de Sousa tem formações superiores nas áreas de Metodologia e Ensino, Recursos Humanos e Gestão Bancária.

É a primeira mulher a assumir um cargo do género no país. De Sousa afirmou que irá apostar na coesão interna para lograr sucessos do partido.

Reagindo à indicação dos novos quadros, os membros do MDM foram unânimes em afirmar que os mesmos servirão de base para a conquista do poder nas próximas eleições autárquicas e gerais.

A presidente da Liga Nacional da mulher do MDM, Judite Macuácua, era uma mulher feliz. “É um ganho que, neste momento, todas as organizações da sociedade civil e os partidos políticos estão virados para o empoderamento da mulher. Isto demonstra uma verdadeira democracia dentro do MDM”.

Carlos Saíde, indicado chefe nacional de governação local, referiu que a indicação de Leonor de Sousa mostra que o MDM é um partido que respeita a igualdade do género. “Não restam dúvidas que a indicação da companheira Leonor de Sousa irá motivar outras mulheres do partido e as que não são do partido a se envolverem cada vez mais na vida política de forma activa, o que é bom para todos tendo em conta que elas são a maioria”.

O antigo secretário-geral, José Domingos, que assumiu o cargo nos últimos quatros anos foi indicado membro da Comissão Política, órgão de que já fazia parte por inerência de funções. Falando ao “O País”, pediu ao novo secretariado que seja mais activo. “Queremos mais trabalho, maior dinamismo. Quando se troca um jogador espera-se melhores resultados e com o nosso apoio acreditamos que chegaremos onde queremos, que é trazer Moçambique para Todos”.

Silvério Ronguane, candidato derrotado nas eleições internas de Dezembro passado, foi nomeado director nacional da escola do partido. “É um grande desafio assumir este cargo e uma grande oportunidade para o MDM, porque assim fica claro que tem que haver um pensamento estratégico e um pensamento estratégico não existe sem preparação académica”.

Albano Carige, Edil da Beira, que foi reconduzido a membro da comissão Política, referiu que o importante neste processo de renovação de quadros é manter os ideais que ditaram o surgimento do MDM. “O MDM surgiu como uma alternativa de governação ao nível central. Portanto é imperioso mantermos os princípios pelos quais criamos este partido. Acredito que os membros dos novos órgãos nacionais ora criados saberão honrar estes objectivos”.

Refira-se que os novos órgãos do MDM foram indicados no decurso da II sessão ordinária do Conselho Nacional deste partido, que tinha entre outros objectivos preparar as próximas eleições.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos