O País – A verdade como notícia

Nova ordem nas águas: Naval, a força das braçadas

Nova ordem na natação. Nem Golfinhos nem Tubarões mandaram  nas águas do Zimpeto. A nova geografia aponta para a Marginal de Maputo (onde está sediado o Clube Naval)  e não Polana (na Escola Secundária Josina Machel, onde fica o “quartel-general” dos Golfinhos). Sete jornadas e seis dias de competição foram o tempo necessário para que o Clube Naval amealhasse 2 689 pontos no Campeonato Nacional de Natação de Verão, batendo, desta forma, a forte concorrência dos Tubarões que ano passado haviam conquistado quase todas as provas internas em que participaram.  O Clube Naval dominou em femininos, conseguindo um total de 1 487 pontos, sendo que em masculinos amealhou 1 002 pontos.

Forte candidato à conquista do título, até pela pujança e protagonismo que assumiu na modalidade nos últimos anos, o Clube de Natação Tubarões de Maputo viu-se relegado para o segundo lugar com 2 531 pontos, sendo que o seu domínio foi nos masculinos com 1 539 pontos e, nos femininos, contabilizou 812.

Surpreendente para alguns, nem tanto para outros, o Ferroviário da Beira fechou os lugares de pódio. Ou seja, terminou a prova em terceiro lugar com um total de 1 051 pontos, resultantes de uma combinação de 486 nos masculinos e 467 nos femininos.

Campeão em título, o Clube de Natação Golfinhos de Maputo quedou-se no quarto lugar com 881  pontos (486 amealhados nos masculinos e 407 nos femininos). Na quinta  posição ficou o renovado Ferroviário de Maputo com 276 pontos, dos quais 138 conquistados nos masculinos e 106 nos femininos.O Clube Náutico da Beira e Nguenhas de Maputo ocuparam a sétima e oitava posições, com 26 e 16 pontos, respectivamente.
 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos