O País – A verdade como notícia

Níveis competitivos em evolução

LMF fez um balanço positivo da primeira volta do Moçambola ZAP 2017, entretanto, não deixou de lado as várias conjunturas socioeconómicas que marcaram a primeira volta da prova, entre elas, o atraso no arranque do campeonato, dificuldades nas ligações aéreas dos atletas. Apesar dos prós e contras, todos os clubes, até ao fim da primeira volta, fizeram a tripla, ou seja, ganharam, empataram e perderam.

O campeonato nacional de futebol, Moçambola ZAP 2017, terminou a sua primeira volta com índices de produtividade melhores em relação aos da última época futebolística, as garantias foram dadas durante uma colectiva de imprensa convocada pelos gestores da mais importante liga de futebol do país. Durante a prova, foram utilizados 15 campos relvados ao longo de todo o país, alguns dos quais a LMF garante que fará monitoria para que se melhorem suas condições em nome do bom espectáculo de futebol.

Mais 8 golos em relação ao ano passado

Em termos de rendimentos estatísticos, em 2017 foram marcados 236 golos contra os 228 apontados em igual período de 2016, o que resulta num crescimento de 0.1 por cento.

O melhor marcador, Eva´Nga (ENH de Vilankulo), conseguiu facturar, em 14 jogos, 10 golos contra os 05 marcados em igual período e com mesmas jornadas disputadas em 2016. O guarda-redes menos batido, Guirrugo (Costa do Sol), sofreu 7 golos em catorze jogos, isto é, num período de 1 260 minutos em que esteve em campo.

Na tabela classificativa, a União Desportiva de Songo terminou na liderança à semelhança da época anterior, porem na presente temporada alcançou 32 pontos contra os 28 atingidos ao fim da primeira volta de 2016. Entretanto, os níveis competitivos são para lá melhores em 2017, onde a diferença pontual entre o primeiro e segundo classificados é muito curta, apenas dois pontos separam a líder do Clube dos Desportos da Costa do Sol.

O melhor ataque ao fim da primeira volta pertence à Liga Desportiva de Maputo com 23 golos e o pior pertence à União Desportiva de Macuácua com 9 golos; a melhor defesa é do Costa do Sol e Desportivo de Nacala com 8 golos sofridos e a pior pertence ao Chingale de Tete e Textáfrica do Chimoio com 21 golos sofridos.

Na primeira volta do Moçambola, o Ferroviário de Nampula é líder em termos de disciplina dos seus atletas. Em relação à arbitragem, a LMF fez também uma avaliação positiva e desafiou aos homens do apito a melhorarem seus níveis de prestação para continuarem a granjear confiança da CAF.

A Liga Moçambicana de Futebol garante que vai continuar a fazer a monitoria, de modo que nos próximos anos a componente de logística passe em definitivo para os clubes. A LMF identificou igualmente campos que devem melhorar as suas infra-estruturas e ficou o compromisso do monitoramento pela LMF e FMF, para melhoria dos recintos.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos