O País – A verdade como notícia

Nivagara defende investigação científica voltada à produção de soluções para o desenvolvimento do país

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Daniel Nivagara, encoraja os investigadores moçambicanos a estarem ciente sobre o papel central da ciência, tecnologia e inovação no cumprimento das metas estabelecidas na estratégia para a industrialização regional da SADC, na agenda 2063 da União Africana e nos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável 2030 (ODS 2030).

O repto foi lançado durante a cerimónia de abertura do III Seminário Internacional de Investigação Científica e de Divulgação dos Resultados dos Projectos Financiados pelo Fundo Nacional de Investigação (FNI), que decorre sob o lema “Conhecimento científico e inovação na era digital: impulsionando o bem-estar das comunidades”.

Como explica o ministro, o lema remete ao papel que a investigação científica, o desenvolvimento tecnológico e a transferência de tecnologias devem desempenhar, quando aprimorados e acrescidos valor constantemente, na criação de melhores condições de vida das populações, num contexto em que o mundo e o nosso país assentam os seus mecanismos de desenvolvimento nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), dada a transversalidade e carácter global das TIC, bem como a sua capacidade de aceleração e maximização de processos e procedimentos.

Com cerca de 300 participantes, entre investigadores nacionais e internacionais, inovadores, empresas, instituições de investigação e de ensino superior, agências nacionais e internacionais de financiamento à pesquisa, parceiros de cooperação, estudantes, entre outros convidados, o evento decorre de 21 a 23 de Outubro corrente, na província de Gaza, na modalidade híbrida.

O Seminário Internacional de Investigação Científica e de Divulgação dos Resultados dos Projectos Financiados pelo FNI pretende constituir-se numa plataforma de partilha de boas práticas e de debate relativo ao estágio do desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação nos países participantes no evento.

Por sua vez, a directora-executiva do FNI, Vitória de Jesus, referiu que, para o presente seminário, foram submetidos 518 projectos de investigação, sendo que 360 foram aprovados e os restantes 158 recomendados para o melhoramento.

Num outro desenvolvimento, Nivagara recordou que, em Moçambique, a acção nos diferentes pelouros ministeriais é determinado pelo Programa Quinquenal do Governo 2020-2024 (PQG 2020-2024), cujo objectivo central é “adoptar uma economia mais diversificada e competitiva, intensificando os sectores produtivos com o potencial para elevar a geração de renda e criação de mais oportunidades de emprego, sobretudo para jovens”. Contudo, para o alcance deste desiderato, a investigação científica possui um papel primordial, ao produzir evidências fiáveis para a formulação de políticas públicas sustentáveis.

“De igual forma, espera-se da investigação científica a produção de soluções científicas e tecnológicas úteis à Administração Pública, ao sector produtivo, às comunidades e à sociedade como um todo”, acrescentou o dirigente.

Em termos de desafios para o domínio da ciência, tecnologia e inovação, o destaque vai para a necessidade de dinamizar a investigação científica e desenvolvimento tecnológico; promover o aumento da participação da mulher na pesquisa e nas áreas de Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (CTEM); construção, reabilitação e apetrechamento das instituições de investigação científica e desenvolvimento tecnológico; promoção da iniciação científica na juventude; promoção e investimento na área da investigação científica e desenvolvimento tecnológico; estabelecimento do repositório científico nacional; operacionalização de programas de disseminação e popularização da ciência, tecnologia e inovação; recolha e sistematização dos dados de ciência, tecnologia e inovação, entre outros.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos