O País – A verdade como notícia

Nigéria, Níger e Benin unem-se para combater contrabando

A Nigéria, Níger e Benin anunciaram formação de patrulhas para lutarem contra o contrabando e a criação de um comité para retomar as trocas comerciais.                                                       

Ministros, responsáveis pelos Negócios Estrangeiros dos três países, assim como o comissário do Comércio da Comunidade de Desenvolvimento Económico da África Ocidental (CEDEAO), reuniram-se hoje na sede da organização regional, em Abuja, capital da Nigéria, onde consertaram a criação de patrulhas comuns.

Foi criado um comité de vigilância e avaliação que reúne os três países para incentivar a erradicação do contrabando.

A declaração é o primeiro sinal de apaziguamento das relações entre a Nigéria e os vizinhos, cerca de três meses depois de o Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, ter decidido o encerramento das fronteiras terrestres com Níger e Benin.
A medida tinha como objectivo parar o contrabando de arroz e óleo.

O Benin beneficiou, por várias décadas, da importação ilegal de gasolina subsidiada, algo que Abuja diz ter custado milhares de milhões de dólares aos cofres nigerianos.

Já o Níger alega que o encerramento da fronteira provoca uma redução de receitas na ordem dos 40.000 milhões de francos CFA (cerca de 60 milhões de euros).

O encerramento das fronteiras terrestres provocou um abrupto aumento de preços na Nigéria, sendo que a maioria dos produtos passaram a ser importados pelo porto de Lagos, comumente criticado pela sua ineficiência.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos