O País – A verdade como notícia

Nicolás Maduro rompe relações diplomáticas e políticas com os EUA

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, confirmou esta quarta-feira a sua decisão de romper relações diplomáticas e políticas com os EUA e anunciou o encerramento da embaixada e dos consulados venezuelanos em território norte-americano.

Nicolás Maduro deu prazo de 72 horas para diplomatas norte-americanos deixarem o país.

Maduro falava no Supremo Tribunal de Justiça, durante a sessão de abertura do novo ano judicial, onde além dos magistrados, os representantes de outros poderes lhe manifestaram o apoio, face à decisão do líder do parlamento, o opositor Juan Guaidó se autoproclamar Presidente interino da Venezuela.

Questionando ao ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, sobre quando seria o regresso, explicou que “chegam no sábado à Venezuela.

Quanto ao corte de relações políticas e diplomáticas com os EUA, anunciado na quarta-feira, disse que se tratou de uma decisão “que mantém com firmeza".

Nicolás Maduro voltou a acusar a Casa Branca de ter patrocinado um golpe de Estado contra o seu Governo.

“Deve haver justiça para que se respeite o Estado de Direito e com justiça haverá República e paz”, disse fazendo alusão à autoproclamação de Juan Guaidó como Presidente interino da Venezuela.

Maduro explicou que, segundo a Constituição da Venezuela, são "faltas absolutas" do Presidente da República, a sua morte, renúncia, demissão decretado pelo Supremo Tribunal de Justiça, assim como incapacidade física ou mental, permanente, vincando que "não existe nenhum desses casos".

O líder venezuelano recordou que em 20 anos de revolução se realizaram 25 eleições, e que 23 delas foram ganhas pelo governo "chavista", todas dirigidas pelo mesmo Conselho Nacional Eleitoral.
 
 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos