O País – A verdade como notícia

Nervosismo domina concorrentes da primeira Gala do MOZKIDS TALENTS

Arrancou hoje, com ligeiro atraso de uma hora de tempo, quando eram precisamente 14 horas, na cidade de Maputo, a primeira gala do reality show MOZKIDS TALENTS, cujo objectivo é contribuir para o desenvolvimento de capacidades das crianças, partindo da cultura.

MOZKIDS TALENTS é um programa infantil, com duração de cinco semanas, onde participam um total de 100 crianças, divididos pela metade, em dois grupos A e B, nas categorias de dança, canto, teatro, poesia e instrumentos musicais.

 Na primeira gala do grupo A, participaram 50 crianças, de seis aos 12 anos de idade respectivamente, mas só 25 passaram a fase seguinte. Sete para cada nas categorias de dança e musica, cinco na categoria de poesia, três para cada na categoria de teatro e instrumentos musicais.

Alguns participantes que transitaram a fase seguinte não esconderam a sua satisfação, mas o nervosismo tomou conta da maior parte dos petizes. A dupla dos dançarinos Stivenson Maculuve e Elaine Chavo, por exemplo, dizem que se sentiram nervosos antes de entrar em cena, porque tinham vergonha de encarar o público, mas conseguiram superar o medo.

" Foi muito bom participar deste concurso, apesar do nervosismo, me sinto muito feliz", disse Ambrosi Langa, dançarino, e promete dar o melhor de se durante o concurso.

Ana Millena, que encantou o público com as suas rimas, diz que esta foi uma boa experiência para si porque é a primeira vez que apresenta em público. "Para mim o importante não é ganhar, mas sim participar e aprender", disse.

Natolys Manjate, outra declamadora, diz que foi emocionante participar do evento. "Estou surpresa comigo mesmo, não esperava ocupar a primeira posição, porque tem muitos concorrentes bons"proferiu.

A parte da encenação coube as irmãs Gleyse e Ramla, que puseram o público a vibrar com as suas encenações.

Quem também não conseguiu conter as emoções, ao ver os seus descendentes apresentar foram os encarregados de Educação.

"Estou muito feliz com o apuramento da minha filha e com a iniciativa do evento, porque é muito bom e vai ajudar as crianças a se conhecerem Melhor " disse Elina Magaia, mãe de uma das concorrentes apuradas.    

Otília Mazive, encarregada de educação, faz uma avaliação positiva do evento, mas recomenda que a organização reveja a situação dos atrasos.

 Sheila Nazir, que se fez presente ao Centro Cultural da UEM para assistir a gala, diz que gostou do que viu e ouviu. "Temos muitos bons concorrentes, espero que iniciativas do género não terminem por aqui" frisou.

Por sua vez, o corpo de júri faz uma avaliação positiva da primeira gala mas deixam algumas recomendações. "Os concorrentes devem trabalhar mais na performance, trabalhar na voz, respiração, combinação dos movimentos do corpo e explorar mais o espaço" recomenda a professora Marcelle Clauquin.

"Alguns não atingiram o nível desejado, mais vamos continuar a corrigir alguns erros constatados, sendo esta uma primeira experiência, mas acredito que com o tempo vamos sanar" realçou o professor Ivan Manhique.

Restam mais 4 galas para o fim do concurso, sendo que aproxima realiza-se no próximo dia 30 do mês em curso, no mesmo local. 

 

 

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos