O País – A verdade como notícia

Natal ensombrado por mortes na Cidade de Maputo

Fotos: O País

Nas comemorações do Natal, dez pessoas morreram na província e Cidade de Maputo. Dessas, cinco morreram de acidentes de viação, duas foram supostamente assassinadas, uma perdeu a vida por intoxicação alcoólica e outras duas foram encontradas mortas em circunstâncias ainda por esclarecer.

Quadra natalícia ensombrada por mortes na Cidade de Maputo. Firmino Nhanala é um pai inconsolável, carrega consigo uma dor que pode demorar sarar. Sua filha foi alegadamente assassinada na noite da sexta-feira (24) quando se divertia numa das barracas do bairro Mavalane na companhia de suas primas.

Conta-se que, na referida barraca, apareceu um jovem que despejou a bebida alcoólica de Constância Nhanala, daí começou a confusão que culminou com os golpes fatais a esta adolescente. “Minha filha morreu, eu estava a dormir quando à meia-noite me ligaram e chamaram-me; quando fui para lá, minha filha estava estatelada no chão.”

Pauleta é prima da vítima; esteve na fatídica noite de 24 de Dezembro e acompanhou o desenrolar da história até ao fim trágico da vida da sua prima. “Estávamos na barraca com as minhas irmãs e apareceu um jovem que despejou as nossas bebidas. Procuramos saber o que estava a acontecer, até a minha irmã que faleceu perguntou porquê, e ele ameaçou-nos esfaquear. Quando saímos dali, ele seguiu-nos, tirou as garrafas e matou-a”, contou.

De acordo com a Polícia da República de Moçambique, na Cidade de Maputo, um outro caso de homicídio ocorreu no bairro Lhamanculo. “Já foi levantado um expediente processual contra os suspeitos e já se encontram detidos nas respectivas subunidades policiais”, disse.

Quanto a outras duas pessoas que morreram em circunstâncias por esclarecer, uma foi encontrada na praia de Costa do Sol e outra no Terminal de Transporte Público de Albasine.

Já no dia 25 de Dezembro, as comemorações foram de forma ordeira na capital do país. Houve registo de nove casos criminais, dos quais cinco foram de ofensas corporais, dois de roubo, um de furto e o último por condução ilegal. As autoridades notificaram também a morte de uma pessoa por intoxicação alcoólica.

“Felizmente, o Dia da Família foi caracterizado por um ambiente ordeiro, tranquilo e não houve nenhum caso relevante. Temos o registo de um corpo sem vida no bairro Luís Cabral, onde encontramos o corpo estatelado no quintal de uma residência e, de seguida, tomamos a devida providência”, afirmou a porta-voz da Polícia da República de Moçambique, na Cidade de Maputo, Marta Ferreira.

Quanto à sinistralidade rodoviária, as autoridades locais revelaram a ocorrência de casos ligeiros, um do tipo atropelamento causado por má travessia e outro do tipo choque, em que uma viatura ligeira colidiu com uma motorizada. Os mesmos acidentes não resultaram em nenhuma morte ou algum ferimento grave.

Enquanto isso, na província de Maputo, o Natal foi manchado por sangue nas estradas. Cinco pessoas morreram em igual número de acidentes de viação. Para a Polícia de Trânsito, alta velocidade e condução em estado de embriaguez foram as principais causas das ocorrências.

“Tivemos registo de cinco acidentes de viação que produziram cinco óbitos, dos quais três do tipo atropelamento entre carro e peão; observamos também um choque entre carro e motorizada que resultou em um óbito, e um embate entre duas viaturas ligeiras que fez uma morte”, disse Rodrigo Tchabana, porta-voz da Polícia de Trânsito a nível da província de Maputo.

A Polícia da República de Moçambique apela à sociedade moçambicana para pautar por um comportamento exemplar durante a vigência da quadra festiva, para que a passagem do final de ano possa correr de forma disciplinada.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos