O País – A verdade como notícia

“Não estou acima de ninguém, mas estou com aqueles que estão comigo”

O seleccionador nacional, Abel Xavier, diz que o seu trabalho é definido em função das etapas e projectos já elaborados e que tem conteúdos que muitos desconhecem. Xavier garante que o principal objectivo do projecto é ver o crescimento e comportamento dos jogadores nacionais. “Desde o primeiro dia, quando cheguei ao país que me viu nascer e cheguei a FMF, sempre defini que as etapas que iria enfrentar eram suportadas por um planeamento que muitos chamam de projectos. O nosso projecto tem conteúdo e etapas cujas decisões não são visíveis ao povo, mas o que queremos é ver o crescimento e o comportamento dos jogadores”, disse o seleccionador nacional.

Abel Xavier esclareceu que em todas selecções nas quais vem trabalhando “com muito curto espaço de tempo”, os jogadores sempre deram sinais de crescimento, desde os sub-17 e os sub-20, garantindo que “há objectivos que queremos consolidar e ultrapassar que é competir com os demais que tem melhores condições”, nomeadamente selecções de grande potência ao nível africano.

O seleccionador nacional diz que há muita matéria-prima no país e “devemos estruturar da melhor maneira para que esta matéria-prima possa entroncar nas equipas do campeonato oficial que temos, que é o Moçambola, como forma de haver continuidade no seu crescimento e comportamento.

Relativamente a selecção sub-23, Xavier disse sentir-se satisfeito com o seu comportamento, pois é composta por jovens com ideias de uma nova mentalidade. “Por isso sempre disse que Moçambique tem futuro, tem geração de continuidade e penso que estes resultados devolvem uma crença ao povo” em relação às selecções nacionais.

MENSAGEM AOS MOÇAMBICANOS

Àqueles que acreditam e apoiam o trabalho que é desenvolvido na selecção nacional, o seleccionador nacional diz que não há dia sequer que quando entra para trabalhar não esteja a pensar nas vitórias. “É que muitas vezes estamos expostos a questão resultadista e depois exigem coisas que depois não nos dão para essa mesma exigência”, disse Abel Xavier para explicar aquilo que considera estar a acontecer e que é um estender da alegria que “queremos dar ao povo”.

VOZES QUE CRITICAVAM O MISTER

No que diz respeito aos críticos, Abel Xavier diz ter nenhuma mensagem, mas “penso que existe um espaço para eles”. “O que estamos a fazer por Moçambique nunca foi feito, mas não quer dizer que não podemos perder”, começou por dizer e assumir Abel Xavier, para depois deixar aquilo é o seu pensamento e desejo no trabalho que está a fazer na selecção nacional: “fazer Moçambique ser uma selecção forte”, mas para isso, “tem que haver continuidade e compreensão alargada de vários executores internos e externos”, pois o país tem futuro.

Abel Xavier diz que não está acima de ninguém, mas está “com aqueles que estão comigo”, tendo em conta que o seu compromisso e da estrutura técnica que acompanha o luso-moçambicano é “máxima à causa nacional”. E o compromisso dos jogadores é uma extensão daquilo que é pedido pela equipa técnica.

BALANÇO PRELIMINAR DO ANO

O seleccionador nacional terminou dizendo que não pode avaliar o ano desportivo 2018, até porque não comanda um clube, mas sim uma selecção. Xavier diz que age em conformidade com as datas que existem para as selecções nacionais. Portanto, “a equipa pode ser mais competitiva tendo mais capacidade de treinos e jogos, tal como aconteceu em 2017. Neste ano criamos competições em maiores quantidades para a formação e vamos ter actividades de formação”, referiu Abel Xavier.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos