O País – A verdade como notícia

“Não entreguemos o nosso país por 20 mil meticais”, Anchia Talapa

Anchia Talapa, secretária-geral da OJM, apela aos jovens a rejeitar qualquer que seja a proposta para fazer parte de terroristas em Cabo Delgado. Talapa diz que não há valor que deve ser aceite para destruir o país
Recentemente escolhida para dirigir a Organização da Juventude Moçambicana (OJM), Anchia Talapa está preocupada com a participação de jovens no conflito em Cabo Delgado.

“Nós sabemos que a maior parte dos recrutados são jovens e, muitas vezes, são usados porque são aliciados com valores monetários. Mas o que temos dito e o apelo que temos feito é que não se deixem enganar”, disse a timoneira da OJM, que falava a jornalistas, tendo ainda salientado: “não entreguemos o nosso país por 20 mil meticais”.

Talapa que efectua visita à cidade de Maputo sublinhou que qualquer que seja a proposta para destruir o país deve ser rejeitada.

“Sabemos que este país foi conquistado por jovens e é preciso que nós como jovens desta geração asseguremos esta nação. Hoje podemos receber dinheiro, e até resolver alguns dos problemas. Mas isso não deve acontecer porque queremos satisfazer nossas vontades”, expressou.

Na capital do país para inteirar-se das actividades do braço juvenil da Frelimo, Anchia Talapa tem na agendada a doação de bens diversos para pessoas vulneráveis, bem como a disseminação de mensagens contra o Coronavírus em diversos pontos da capital.

Eleita em junho último, para dirigir a OJM, Anchia Talapa, filha de Margarida Talapa, é a primeira mulher a dirigir o rosto juvenil do partido Frelimo.

Partilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

RELACIONADAS

+ LIDAS

Siga nos